Especias Mixtli

Consejos | Trucos | Comentarios

Quem Foi Melhor No Debate Da Band?

Quem foi melhor no debate da Band Lula ou Bolsonaro?

Um debate marcado pela falta do diálogo. Para os colunistas do UOL, essa foi a tônica do último encontro entre os candidatos ao Planalto antes do segundo turno, realizado pela TV Globo na noite de sexta (28).

Apuração dos votos do 2º turno das Eleições 2022: siga resultados no UOL

Por pouco mais de duas horas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL) promoveram um debate com poucas propostas, com muitas referências ao passado e calcado em ataques. Com a tensão presente na interação entre os candidatos, que qualificavam o adversário com termos que iam de mentiroso a descompensado, nem o mediador do debate, o jornalista William Bonner, conseguiu manter a paciência,

Carla Araújo :

Acho que o resultado do debate foi de empate, com gosto de vitória ao ex-presidente Lula, que jogava para não perder votos. Bolsonaro e Lula pouco se preocuparam com os eleitores indecisos e podem ter apenas agradado suas ‘bolhas’. Com a maior parte do tempo dedicada a ataques mútuos, faltou debater propostas.

Carolina Brígido :

Foi um debate de surdos, com críticas mútuas e sem qualquer chance de diálogo. Um candidato perguntava e outro respondia sobre outro assunto. Bolsonaro explorou novamente os processos aos quais Lula respondeu na Justiça. Lula obteve vitória quando Bonner interveio explicando que o STF anulou condenações do petista.

Fora isso, foi um debate tenso do início ao fim, Os candidatos se mostraram raivosos, faltou simpatia. No fim, a impressão que dá é que o eleitor achou que seu próprio candidato ganhou o debate. Não parece provável que os candidatos tenham conseguido capitalizar mais votos para si. Ou seja, empatou. Nessa perspectiva, Lula pode ter sido vitorioso.

Como está na frente das pesquisas de intenção de votos, só de não perder a discussão, já saiu no lucro.

Thaís Oyama :

Na prática, Lula venceu. Se não teve uma grande performance, tampouco cometeu um grande erro e, portanto, entrou favorito no debate e favorito saiu. Mas nem ele nem Bolsonaro conseguiram falar para os indecisos, público que era a razão de ser de um debate realizado a dois dias de uma eleição que promete ser uma das mais apertadas da história.

Josias de Souza :

Grande perdedor do debate entre Lula e Bolsonaro foi o eleitorado indeciso Lula e Bolsonaro precisavam conquistar os votos dos brasileiros que ainda estão indecisos. Coisa de 7% do eleitorado, segundo o Datafolha. Os que desperdiçaram um naco da noite de sexta-feira para assistir ao debate promovido pela TV Globo encontraram mais razões para anular o voto do que para optar por um dos contendores.

Em certos momentos, pareciam dois aspirantes ao cargo de vereador trocando insultos em cima do caixote. A palavra mais mencionada foi «mentiroso». À frente no placar do primeiro turno e nas pesquisas, Lula precisava de um empate. Acabou prevalecendo, Menos pela exuberância do desempenho do que pela capacidade de resistir a um rival que fez opção preferencial pela canelada.

A afirmação mais relevante de Bolsonaro foi feita fora do debate. » Não há a menor dúvida: quem tiver mais votos leva «, declarou, sobre a disposição de aceitar o veredicto das urnas. Como o debate não virou a conjuntura do avesso, terá a oportunidade de mostrar que fala sério em menos de 48 horas.

Reinaldo Polito :

O debate foi uma troca mútua de ataques e xingamentos. Tanto um quanto outro se referiu ao adversário como mentiroso. Esse tipo de acusação, de maneira geral, não favorece o agressor, a não ser que seja acompanhado de provas. Nesse aspecto, Bolsonaro tentou se apoiar em fatos.

Houve situações inusitadas, como, por exemplo, o pedido de resposta de Bonner por ter sido citado. Por várias vezes, o presidente questionou o adversário sobre as mentiras em suas propagandas, nas quais dizia que o chefe do Executivo acabaria com muitos direitos do trabalhador. Lula tentou fugir, até que precisou dar alguma explicação.

E não foi feliz, Disse que não era ele quem fazia as peças publicitárias e que nem sabia o que era produzido. Por sua vez, Bolsonaro não respondeu de forma consistente o questionamento sobre o investimento em saúde. Também nesse caso, Lula teve de insistir muito para arrancar alguma resposta.

  1. Lula nunca foi muito bem nos debates.
  2. Hoje, conseguiu, pelo menos, sobreviver.
  3. Consentiu, entretanto, que Bolsonaro falasse sem objeções sobre seus feitos.
  4. Da mesma forma, permitiu que o presidente deixasse claro que houve corrupção e desemprego no governo petista.
  5. Pode parecer pouco, mas nem toda a população mais jovem, por exemplo, vivenciou esses fatos.

Se fosse para dar nota para cada um, daria 7,5 para Bolsonaro e 5 para Lula. Essa diferença poderá ter alguma influência no voto de alguns eleitores, já que milhões estavam diante da TV

Chico Alves :

Praticamente todos os debates eleitorais importantes terminam com os críticos reclamando da falta de propostas. A verdade é que, há muito tempo, esse tipo de confronto se resume a uma disputa de pegadinhas e performances faciais entre os candidatos. O debate final entre Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro, no entanto, t alvez tenha sido o recordista na falta de ideias para a melhoria do Brasil,

Entre as sucessivas acusações que um fez ao outro de mentir, o que se viu foi os presidenciáveis falarem mais de passado que de futuro —o que não ajuda muito o eleitor a se decidir. Na postura agressiva de Bolsonaro e nas repostas duras de Lula, poderíamos afirmar que houve empate. Mas as tentativas do petista de algumas vezes puxar a conversa para um nível mais alto e o pedido de desculpas que fez ao telespectador pelas baixarias talvez rendam a ele uma menção honrosa.

Ou seja: se depender do debate, os indecisos terão poucos motivos para mudar de posição.

Juliana Dal Piva :

O debate na Globo entre Lula e Bolsonaro deixou evidente o ânimo de Bolsonaro frente aos últimos dias da campanha. O atual presidente da República estava visivelmente nervoso a ponto de tremer ao falar. Ao final, ele chegou a pedir um mandato de deputado federal em um terrível ato falho.

Bolsonaro repetiu todo o seu repertório e encontrou um Lula mais preparado e na sua melhor performance em todos os debates. Lula imprimiu uma tônica de estadista. Martelou o fato de o Brasil ter se isolado do mundo. Citou os escândalos familiares de corrupção da família Bolsonaro e, no geral, enfrentou melhor os ataques de Bolsonaro.

Acredito que o débito ainda ficou circunscrito aos eleitores dos dois. No entanto, quem falou para fora da bolha foi Lula e pode ter alcançado alguns indecisos,

Mariana Kotscho :

Bolsonaro passou o debate sendo Bolsonaro. Agressivo, descompensado, disparando fake news —como se falar mentiras fosse liberdade de expressão, a ponto de o próprio William Bonner precisar de um direito de resposta. Aliás, mentira foi uma das palavras mais usadas no debate.

Enquanto um chamava o outro de mentiroso, perdia-se um tempo precioso para tratar de temas realmente relevantes, Desde o início, Lula esteve mais equilibrado e mais bem preparado. Mas insistiram em acusações mútuas, em temas do passado e nos mesmos assuntos de outros debates. Quem estava esperando um debate de propostas continuou sem respostas.

Lula se saiu melhor porque, em alguns momentos, conseguiu falar de propostas e trouxe os temas principais para o debate.

André Santana :

Lula venceu o debate porque está acostumado com a dinâmica da política de confronto de ideias e argumentação. Bolsonaro desconhece essas práticas democráticas e, portanto, repete as mesmas acusações, sem compromisso em discutir ideias e projetos para o Brasil.

Em um debate com mais acusações e menos apresentação de propostas para o país, Lula ganhou por estar mais acostumado com o confronto democrático tão caro à dinâmica da política, que exige argumentação, embasamento, retórica e respeito aos fatos, tudo que Bolsonaro ignora. A trajetória do ex-presidente, inclusive no partido que ajudou a criar e que, como foi dito no debate, possui muitas tendências e disputas internas, o calejou para o debate.

No ato falho ao final, ao pedir voto para deputado federal, Bolsonaro nos faz retornar a um enorme enigma desta nossa República: como ele conseguiu frequentar o parlamento brasileiro por quase três décadas, sem o menor domínio da prática do diálogo e da argumentação, deficiência que os quatro anos à frente da Presidência não conseguiram corrigir.

Madeleine Lacsko :

Lula venceu o debate. Finalmente aprendeu que não se trata de ganhar o jogo, mas de escolher o tabuleiro. Conseguiu manter a discussão no campo da economia, o pior para Bolsonaro, na maior parte do tempo. Segundo a pesquisa Genial/ Quaest, o maior medo do eleitor caso Bolsonaro seja eleito, é a piora na economia.

Cínthia Leone :

Lula conseguiu impor o debate de temas sensíveis para Bolsonaro: covid, pobreza, viagra, armas, violência contra a mulher, barras de ouro de pastores, rachadinha, imóveis com dinheiro vivo, isolamento internacional do Brasil, ataques ao STF. Os indecisos podem ter prestado atenção.

Leonardo Sakamoto :

O debate foi ruim, mas Lula se saiu melhor. Primeiro, Bolsonaro precisava trazer uma «bala de prata» ou «nocautear» o petista. Não só nenhuma das duas coisas aconteceu, como vimos um Jair que começou perdido no palco da TV Globo e demorou para engrenar.

A orientação de seu filho, Carluxo, como ocorreu no debate anterior, fez falta. Além disso, Lula reforçou os BOs que apareceram contra o presidente nas últimas semanas, como a tentativa de assassinato de policiais federais pelo bolsonarista Roberto Jefferson e o estudo de Paulo Guedes que pode precarizar o salário mínimo e as aposentadorias.

A dois dias da eleição, Jair precisava de mais. Não conseguiu,

See also:  Quando Acaba A Novela AlM Da IlusãO?

José Roberto de Toledo :

Lula foi menos pior do que Bolsonaro no desempenho e na presença em cena. E foi muito melhor no que realmente importa: na tática. Jogou marcando o adversário, pra não perder, Fez isso bem o tempo todo. Preservou seu eleitorado, não cometeu erros graves. Pode não ter ganho novos eleitores, mas Bolsonaro tampouco. Jogou como time que está ganhando e administrou a vantagem. Portanto, ganhou.

Tales Faria :

Lula venceu por pontos o debate, que não significou ganho de votos para nenhum dos candidatos. O petista saiu-se melhor nos primeiros blocos, quando se falou do arrocho do salário mínimo, das aposentadorias e do crescimento da fome e da pobreza. Mas não foi tão bem na discussão sobre desemprego e meio ambiente.

Brenda Fucuta :

Lula sem dúvida se saiu melhor no debate. Foi ponderado e dono de uma pauta mais construtiva. Mas, a meu ver, o maior motivo da superioridade no desempenho do petista esteve na fraqueza do oponente, já que a estratégia de colar em Lula os defeitos do próprio Bolsonaro não me pareceu nada convincente.

Com o bordão «Para de mentir, Lula», repetido ad nauseum, imagino que Bolsonaro não tenha parecido crível nem para os seus eleitores. E, apesar de sabermos do descompromisso do presidente com a verdade, vê-lo disparando tanta desinformação —na cara dura, sem ficar vermelho— me deu a sensação de que aquilo não era um debate presidencial, mas uma discussão de colégio.

Passei da indignação para a anestesia, Por outro lado, essa não foi a performance de Lula que eu imaginava. Na minha avaliação, ele continua pecando por falta de humildade, dando muito crédito a ele próprio e ao partido, o PT, e explorando pouco o fato de estar liderando uma frente, nacional e internacionais, de apoio à ideia de um país democrático e pacificado.

Walter Maierovitch :

Quem perdeu foi o cidadão. Numa democracia, como definiu o presidente norte-americano Lincoln, o «governo é do povo, pelo povo e para o povo». Nem Lula e nem Bolsonaro mostraram e defenderam propostas de governo. Deu empate, Bolsonaro fazendo o tipo do cínico e a repetir o surrado discurso da corrupção nos governos Lula.

Kennedy Alencar :

Lula conseguiu ditar o que estava em discussão e insistindo nos temas de combate à fome, merenda escolar congelada em baixo valor e desempenho na pandemia. Em vários momentos, Lula pedia desculpa e dizia que Bolsonaro era um presidente que não dizia o que faria.

Alberto Bombig :

Lula foi mais consistente do início ao fim e, portanto, venceu o debate. O petista conseguiu encaixar o caso Roberto Jefferson no debate sobre a segurança pública e foi melhor na questão sobre o salário mínimo e os programas sociais. O melhor momento de Jair Bolsonaro ocorreu justamente quando ele deixou de lado sua guerra cultural para focar em pontos de seu governo Vale destacar que o presidente chegou a ensaiar um ataque ao TSE no primeiro bloco, mas depois desistiu.

Camilo Vannuchi :

Lula venceu o debate outra vez, principalmente em razão do terceiro bloco. Poderia jogar pelo empate, mas entrou em campo aquecido e venceu a partida com facilidade —o que, para um candidato que lidera as pesquisas, pode ser considerada uma baita vitória.

  1. Exibiu altivez, agilidade de pensamento e autenticidade.
  2. Demonstrou conhecimento dos problemas do país e preparo para buscar soluções, falando com seriedade, enquanto o adversário optou por repetir sandices como «o Brasil está muito bem» ou «temos relações com mais países do que no seu governo».
  3. Não satisfeito, Bolsonaro insistiu em pintar o retrato de um país que, segundo ele, vai muito bem, como se a fome não vitimasse mais de 33 milhões de brasileiros e como se o governo tivesse sido ágil na compra de vacinas.

Bastou para que Lula acusasse o adversário de estar «descompensado» e de dizer insanidades. O presidente da República, por sua vez, falou o tempo todo para seus apoiadores, sua bolha, perguntando sobre aborto, Marcola, regulação da mídia e ideologia de gênero.

  • Mentiu quando disse, mais de uma vez, que a bancada do PT votou contra o Auxílio Brasil, o que já foi desmentido por diversas agências de checagem e motivou a decisão do TSE de proibir a campanha do PL a exibir essa desinformação.
  • Voltou a mentir ao acusar Lula de ser amigo de Roberto Jefferson, notório apoiador de Bolsonaro, e também ao afirmar que os desmatamentos da Amazônia estão caindo em sua gestão.

Mentiu tanto que até o Bonner precisou reivindicar um direito de resposta, ainda no primeiro bloco. Para mim, a sensação que ficou foi que Bolsonaro, redundante, não foi capaz de inspirar credibilidade ou ampliar sua base de apoio, Não deve ganhar nem meia dúzia de votos com esta performance —o que, para quem está atrás nas pesquisas, é mau sinal.

Reinaldo Azevedo :

Não vou entrar aqui em minudências de dados porque debate não é chamada oral para saber quem acerta números no detalhe. Esse tipo de encontro tem natureza política. Logo, é preciso saber quem conseguiu pautar o outro. Lula sempre foi um bom debatedor e um excelente entrevistado.

Nesse segundo caso, esteve à altura de sua história nessa campanha em todas as oportunidades. O debatedor, no entanto, estava devendo. Nesta sexta, o petista teve uma performance de gala, à altura de sua grandeza política. Saiu-se melhor em todos os blocos. «Explique, Reinaldo Azevedo «. Explico. Bolsonaro não conseguiu fugir da questão do salário-mínimo.

Fez a promessa dos R$ 1.400, mas é irrespondível que não houve reajuste real no seu governo. O presidente quebrou a cara no caso da covid-19. Ao insistir em petrolão e mensalão, levou na testa os 51 imóveis pagos, em parte, com dinheiro vivo. Enrolou-se até na questão do Viagra e tentou ser engraçado, indagando se Lula toma o remédio.

Depois de passar quatro anos se comportando como fiscal do «c.» alheio, vê-se que se dispõe a ser também fiscal da «r.» alheia. Recomendo um analista. Ficou tão desorientado que, no minuto e meio final, pediu um outro mandato de «deputado federal». Não mereceria nem isso. Se vencer debate fosse sinônimo de eleição, a vantagem de Lula seria de uns 70% a 30%, a exemplo, note-se, do embate de Fernando Haddad (brilhante!) contra Tarcísio de Freitas na noite anterior.

Há uma explicação adicional nos dois casos. Tarcísio tentou ser um bolsonarista vegetariano, não sanguinolento. Até o Jair buscou ser mais manso. Ocorre que só existe bolsonarismo carnívoro, mas à moda das hienas, que roubam a caça alheia. Ambos conseguiram ser, no máximo, herbívoros

Porque o Lula não foi ao debate?

Os candidatos à Presidência receberam convites para participar de ao menos cinco debates durante o segundo turno das eleições. Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) tiveram o primeiro encontro no domingo (16), na TV Band. Leia mais: O próximo debate está previsto para esta sexta-feira (21), em consórcio promovido pelo jornal «O Estado de S.

Paulo», as emissoras SBT, CNN, a revista «Veja», o portal «Terra» e as rádios Nova Brasil e Eldorado. Lula, no entanto, alegou incompatibilidade de agendas para justificar sua ausência. Com a desistência, a organização do debate informou que fará uma entrevista com Bolsonaro, que confirmou presença. Há previsão que Lula cumpra, na sexta-feira e no sábado, agenda de campanha em Minas Gerais, segundo maior colégio eleitoral do país e onde Lula ganhou no primeiro turno, mas também onde Bolsonaro encontrou palanque com o apoio do governador Romeu Zema (Novo),

O vice dele, Paulo Brant (PSDB), declarou voto em Lula. Na largada do segundo turno, Lula já havia dito que pretendia participar de «um ou dois debates», Disse que sua prioridade é viajar pelo país e fazer comícios em busca de votos. Estão previstos debates promovidos pela TV Record e pela TV Globo. Quem Foi Melhor No Debate Da Band Moraes puxa o freio

Quem ganhou o debate para governador de São Paulo?

Análise: Quem ganhou o debate de governador de São Paulo na TV Globo? Quem foi o ganhador do último debate a candidatos a governador em São Paulo? O encontro dos cinco primeiros colocados nas pesquisas de intenção de voto foi morno e seu efeito nas eleições será nulo ou muito reduzido, mas o saldo do debate foi favorável ao petista Fernando Haddad.

O líder nas pesquisas foi absolutamente poupado pelo segundo colocado, o bolsonarista Tarcísio de Freitas (Republicanos), que chamou atenção pela falta de agressividade. Ambos procuraram nacionalizar o debate e criticaram, de forma direta ou indireta, o governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), alvo em comum dos outro quatro postulantes.

Haddad atacou Garcia, porque o tucano é o adversário mais temido em um segundo turno. Tarcísio o fez por estar disputando diretamente com ele a vaga na rodada final. Os nanicos Vinicius Poit (Novo) e Elvis Cezar (PDT) atacaram o governador porque precisam se credenciar como oposição.

  • Em permanente bombardeio, Garcia fez do ataque sua defesa.
  • Ele procurou descredenciar seus adversários, mas deixou no debate pontos sem resposta.
  • Evita comentar o governo Doria, do qual foi um dos principais articuladores, não esclarece suas relações políticas com ex-prefeitos de São Paulo como Gilberto Kassab e Celso Pitta e não falou sobre uma delicada questão pessoal mencionada por Haddad e Elvis Cezar: o fato de ter um irmão condenado por corrupção na prefeitura de São Paulo.

Em debate anterior Garcia esclareceu não ter vínculos com as atividades do irmão Marco Aurélio, de quem teria se afastado. Agora não chegou a comentá-la. : Análise: Quem ganhou o debate de governador de São Paulo na TV Globo?

See also:  Quanto Tempo Dura O Cio De Uma Cadela?

Qual é a função de um debate?

Debate – Wikipédia, a enciclopédia livre

As referências deste artigo, Por favor, utilize contendo título, autor e data para que o verbete permaneça, ( Abril de 2017 )

table>

Esta página, mas que todo o conteúdo, Ajude a, Conteúdo não pode ser,— Encontre fontes: • • ( • • ) ( Abril de 2017 )

Nota: Para outros significados, veja, Debate político televisionado pela em, durante as, Debate (do debat ) é um modelo de contestação baseado na argumentação onde duas, ou mais, ideias conflitantes são defendidas ou criticadas com base em, É formalmente usado por, políticos em geral,,, e vários outros.

No, as conversas argumentativas sobre,, e podem ser considerados como debates informais. Os debates ocorrem de modo oficial em, em modelos,,,,, e outros. Um debate pode servir para esclarecer questões, como em em, refutar, verificar a validade de ideias, convencer, buscar a veracidade de um argumento, treinar etc.

É um método de apresentar formalmente argumentos de uma forma, Consistência, exatidão e a qualidade são elementos do debate. O resultado de um debate pode alcançar um ou algum modo formal de chegar a uma solução, mas isso não é atributo básico de um debate, o qual pode servir apenas para esclarecimento ou aprofundamento de uma questão, sem chegar a conclusões.

Em uma disputa formal de debate, existem regras para os participantes a discutir que definem como eles irão interagir. Um debate pode durar apenas alguns minutos, como o debate em uma aula, ou durar bem mais tempo, como ocorre nos debates filosóficos e científicos, onde os argumentos são apresentados em e periódicos que podem demorar anos para serem publicados e veiculados para o público.

Diferentes autores têm se dedicado a examinar a ocorrência de debates em diferentes arenas, a exemplo da, Muitos dos estudos sobre e se dedicam a examinar a influência do meio (a, por exemplo) e da época () sobre a possibilidade de troca de ideias de cunho deliberativo.

O que o Lula já fez de bom para o Brasil?

Além da criação de um ministério para esse fim, determinou reserva de vagas para pessoas negras na administração pública; criou o programa Aquilomba Brasil, para promover os direitos da população quilombola; criou um grupo de trabalho interministerial para elaborar o novo Programa Nacional de Ações Afirmativas; e

Em quais países o Lula já ganhou?

Lula já venceu na Nova Zelândia, Austrália e Coreia do Sul; Bolsonaro ganha no Japão.

Em qual Estado Lula perdeu?

Presidente eleito foi torneiro mecânico e perdeu o dedo mínimo da mão esquerda em 1964, quando trabalhava na metalúrgica Independência, no bairro Vila Carioca, em São Paulo. –

Quantos debates Lula faltou no segundo turno?

Líder nas pesquisas de intenção de voto, o ex-presidente e candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) informou que não irá participar dos debates do segundo turno marcados pelo SBT e pela Record TV, Os embates contra o atual presidente, Jair Bolsonaro (PL), aconteceriam nesta sexta-feira (21) e no próximo domingo (23).

No lugar dos debates, as duas emissoras irão exibir sabatinas com Bolsonaro, As entrevistas no SBT e na Record serão veiculadas às 21h30 da sexta e do domingo, respectivamente. «Infelizmente, por incompatibilidade de agendas, o candidato Luiz Inácio Lula da Silva não poderá comparecer ao debate realizado pelo SBT e emissoras parceiras neste segundo turno», disse a coligação, em nota enviada ao pool formado também por CNN Brasil, Estadão/Rádio Eldorado, Terra, Veja e Nova Brasil FM.

Lula também faltou ao debate do grupo no primeiro turno. As perguntas a Bolsonaro serão feitas pelos jornalistas do pool encabeçado pelo SBT. A Record informou a ausência de Lu la, mas não citou a justificativa apresentada pelo ex-presidente. Com isso, apenas o debate da TV Globo, marcado para 21h30 de 28 de outubro, a dois dias da votação, deve ocorrer.

Quando é o debate do Bolsonaro na Record?

Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, decidiu não participar do debate –

  • RecordTV
  • 21/10/2022 – 00h20

Para ver este vídeo, ative o JavaScript e considere atualizar para um navegador da Web que suporta vídeo HTML5 Neste domingo (23), às 21h30, ao vivo, Eduardo Ribeiro comanda a sabatina com o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro, do PL. Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, decidiu não participar do debate. Eleições 2022 – O Voto na Record.

Quem se saiu melhor no debate de hoje?

Lula sem dúvida se saiu melhor no debate. Foi ponderado e dono de uma pauta mais construtiva.

Quem ganhou no Pará?

Lula ou Bolsonaro: quem ganhou no Pará? Após 100% das urnas apuradas, o candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceu no Pará, recebendo 2.509.084 de votos, com 54,75%. Já o candidato Jair Bolsonaro (PL) recebeu 2.073.895 votos, ficando em segundo lugar no Estado, com 45,25%.

Qual governador de São Paulo está ganhando?

Tarcísio é eleito governador e simboliza triunfo do bolsonarismo em São Paulo.

Quem controla um debate?

Atribuições do moderador: O moderador coordena o trabalho de forma a garantir o seu bom andamento: a participação de todos os debatedores e a interação com o público.

Quem comanda um debate?

Composição Básica –

Moderador – Responsável pela mediação e aplicação das regras previstas para o debate. Cada modalidade de debate atribui, ao moderador, prerrogativas diferenciadas. De modo geral, ele fica responsável em mediar o debate, apresentando os debatedores, controlando os tempos, esclarecendo os momentos em que o debate está e chamando a atenção de eventuais desvios nas regras por parte dos debatedores ou da plateia.

Debatedores – São os que expõem os argumentos e defendem ou refutam uma ou tema previamente estipulado. A depender das regras estipuladas, agirão de maneira a apresentar os argumentos para defender ou refutar. Podendo ou não ser orador. Em algumas modalidades de debate em grupo, há participantes debatedores que não são oradores, participando apenas da construção argumentativa do seu grupo.

Plateia – São os indivíduos que assistem ao debate. Dependendo do modelo, das regras estipuladas e das circunstâncias, podem participar diretamente fazendo perguntas e dando opiniões, votando ou se expressando com sons de, e,

O que foi feito no governo Lula em 2023?

Educação – Em fevereiro de 2023, o presidente Luiz Inácio Lula anunciou que o governo federal iria reajustar o valor de bolsas de estudo em doutorado, mestrado, graduação e pesquisas, em evento no Palácio do Planalto, no dia 16/02, Em abril de 2023, mediante forte pressão externa, o governo, por meio do Ministério da Educação, anunciou a suspensão do Novo Ensino Médio.

Quem foi o melhor presidente de todos os tempos do Brasil?

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail – Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo Além de ficar distante de Lula no ranking positivo, Bolsonaro também foi escolhido pelos eleitores como o pior presidente da história do Brasil desde a Nova República. Quem Foi Melhor No Debate Da Band O legado do ex-presidente Lula já havia sido o melhor avaliado em outros levantamentos, Em março, o Ipespe apontou que 58% dos eleitores indicavam que Lula teve um desempenho positivo quando comandou o País. Bolsonaro, por sua vez, acumula recordes de menções negativas ao seu governo, sendo reprovado por maioria dos eleitores desde metade do ano passado.

  1. Na pesquisa desta quarta-feira, o ex-capitão é considerado ruim ou péssimo por 54% dos entrevistados,
  2. A pesquisa, que também apontou vantagem de Lula na corrida presidencial deste ano, foi realizada entre os dias 2 e 5 de abril e contou com mil entrevistas telefônicas.
  3. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais e o nível de confiança é de 95,5%.

Veja a íntegra da pesquisa:

Quem foi que criou o Bolsa Família?

Presidente Lula participa da celebração dos 20 anos de criação do Bolsa Família Info Notícias AVISO DE PAUTA Cerimônia ocorre nesta sexta-feira, dia 20 de outubro, a partir das 11h, no auditório do subsolo do Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS).

  1. Presidente Lula da Silva participa ao vivo, por videoconferência Superação da pobreza e transformação social.
  2. Com esses alicerces, o Governo Federal criou o Bolsa Família, o maior programa de transferência de renda do país, reconhecido internacionalmente por já ter tirado milhões de famílias da fome.

São 20 anos de conquistas fundamentais.

Coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS), o Bolsa Família busca integrar políticas públicas, fortalecendo o acesso das famílias a direitos básicos como saúde, educação e assistência social.Para honrar e celebrar as histórias de vida modificadas pelo programa, o Governo Federal promove, nesta sexta-feira, dia 20 de outubro, a cerimônia que celebra os 20 anos de criação do Bolsa Família, a ser realizada no auditório do subsolo do MDS, a partir das 11h, com a presença do ministro Wellington Dias e de secretários nacionais, além de participação ao vivo, por videoconferência, do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.O credenciamento de imprensa será realizado pelo e-mail:,

Quem está na frente nas pesquisas Lula ou Bolsonaro?

Confira as principais pesquisas eleitorais – Continua após a publicidade No Datafolha mais recente, divulgado em 19 de outubro, Lula está na frente, com 52% dos votos válidos. Bolsonaro tem 48%. Confira a pesquisa, No último Ipec (antigo Ibope), divulgado em 17 de outubro, Lula está na frente, com 50% das intenções de voto.

Bolsonaro tem 43%. Confira a pesquisa, Na última pesquisa MDA, divulgada em 17 de outubro, Lula está na frente, com 53,5% dos votos válidos. Bolsonaro tem 46,5%. Confira a pesquisa, No levantamento mais recente da Ipespe/ABRAPEL, Lula está na liderança, com 53% dos votos válidos. Bolsonaro tem 47%. Confira a pesquisa,

Na última pesquisa Genial/Quaest, divulgado no dia 18 de outubro, Lula está na frente, com 47% das intenções de voto no segundo turno. Bolsonaro tem 42%. Confira a pesquisa, Na sondagem mais recente do PoderData, divulgada no dia 19 de outubro, Lula está na frente, com 52% dos votos válidos. Pesquisas eleitorais projetam resultado do segundo turno entre Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PL). Foto: André Penner/AP e Adriano Machado/Reuters

See also:  Quem Vai Voltar Para O Bbb 23?

Qual foi o presidente mais votado da história do mundo?

Lula é o presidente mais votado da história da humanidade Ex-presidente acumula mais de 193,6 milhões de votos se considerado apenas primeiros turnos para efeito de comparação com as eleições de outros países Eleito pela terceira vez presidente do Brasil, o ex-metalúrgico Luiz Inácio Lula da Silva é o presidente mais votado da história do mundo.

O segundo a figurar no ranking é o presidente russo com 191,3 milhões de votos em quatro eleições, de 2000 a 2018.Em terceiro está o ex-presidente norte-americano Barack Obama, eleito em 2008 e reeleito em 2012, com o total de 135,4 milhões de votos. Marcas históricas

Se levado em conta os segundos turnos das eleições presidenciais no Brasil, a votação de Lula chega à impressionante marca histórica de 396 milhões de votos. E isso apenas nas eleições para presidente da República. Em 1986, Lula entrou para a história do Brasil e das urnas quando foi eleito o deputado constituinte mais votado do país, com mais de 651 mil votos.

Porque Lula ganhou as eleições?

Economia estava entre as prioridades do eleitor, e isso favorecia Lula. Desde o início do ano, a agenda socioeconômica – como a geração de empregos, a inflação e a insegurança alimentar – eram apontadas como as principais preocupações do eleitorado.

Quem está na frente nas pesquisas Lula ou Bolsonaro?

Confira as principais pesquisas eleitorais – Continua após a publicidade No Datafolha mais recente, divulgado em 19 de outubro, Lula está na frente, com 52% dos votos válidos. Bolsonaro tem 48%. Confira a pesquisa, No último Ipec (antigo Ibope), divulgado em 17 de outubro, Lula está na frente, com 50% das intenções de voto.

Bolsonaro tem 43%. Confira a pesquisa, Na última pesquisa MDA, divulgada em 17 de outubro, Lula está na frente, com 53,5% dos votos válidos. Bolsonaro tem 46,5%. Confira a pesquisa, No levantamento mais recente da Ipespe/ABRAPEL, Lula está na liderança, com 53% dos votos válidos. Bolsonaro tem 47%. Confira a pesquisa,

Na última pesquisa Genial/Quaest, divulgado no dia 18 de outubro, Lula está na frente, com 47% das intenções de voto no segundo turno. Bolsonaro tem 42%. Confira a pesquisa, Na sondagem mais recente do PoderData, divulgada no dia 19 de outubro, Lula está na frente, com 52% dos votos válidos. Pesquisas eleitorais projetam resultado do segundo turno entre Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PL). Foto: André Penner/AP e Adriano Machado/Reuters

Quem está na frente das pesquisas para presidente Lula ou Bolsonaro?

Confira a pesquisa. Na última pesquisa MDA, divulgada em 17 de outubro, Lula está na frente, com 53,5% dos votos válidos.

Para quem o presidente Bolsonaro torce?

Ex-presidente já usou camisas de vários clubes: de Corinthians a Palmeiras, de Botafogo a Flamengo e mais Ex-presidente do Brasil, Jair Bolsonaro jamais escondeu ser um fã de futebol. Não é novidade no histórico do capitão reformado, mas foi um lado que começou a ganhar mais notoriedade pública antes mesmo de sua eleição para presidente, em 2018.

Desde então ele tem aparecido constantemente em eventos esportivos de futebol. Jair Bolsonaro sequer havia sido oficializado como candidato às eleições presidenciais de 2018 e já aparecia em estádios, especialmente o Maracanã, trajando a camisa dos mais diversos times brasileiros. No Rio de Janeiro, tirou fotos vestindo as camisas de Fluminense, Botafogo, Vasco e Flamengo.

Quando passou a ganhar mais força na sua primeira corrida presidencial, o número de camisas aumentou e seguiu desta forma mesmo depois de sua eleição, em 2018, e antes e durante de sua tentativa de ser reeleito no pleito de 2022. Com todo este cenário, muitos se perguntaram: afinal de contas, qual é o time de Jair Bolsonaro? Nascido em Glicério, município do estado de São Paulo, Bolsonaro foi batizado em homenagem a Jair Rosa Pinto, grande jogador das décadas 1940 e 1950 que virou ídolo em clubes como Vasco e Palmeiras, além de ter tido passagens por Flamengo, Fluminense, Santos, São Paulo e outros. Quem Foi Melhor No Debate Da Band Alexandre Schneider/Getty Em 2018, já eleito presidente, Bolsonaro rompeu com qualquer tipo de protocolo quando resolveu descer ao gramado do Allianz Parque para entregar as medalhas do título brasileiro conquistado pelo Palmeiras. Em 2019, contudo, deu uma guinada ao lado rubro-negro do país. Quem Foi Melhor No Debate Da Band Além de ter aparecido diversas vezes com a camisa do Flamengo, inclusive levando o então ministro Sergio Moro para uma partida do Rubro-Negro, Bolsonaro já levou uma camisa do Fla em viagem diplomática à China e aos Emirados Árabes Unidos. Além disso, já posou algumas vezes ao lado de dirigentes do clube, com quem tem boa relação, com o ex-técnico flamenguista Jorge Jesus e vários outros jogadores do elenco do clube.

Quando Palmeiras e Flamengo se enfrentaram na final da Libertadores em 2021, o presidente teve que decidir entre dois de seus times favoritos. A torcida pelos rubro-negros (que seriam derrotados na final) foi declarada de forma efusiva: «Antes de agradecer a qualquer coisa, assim como falei em 2019 e deu certo.

amanhã somos todos Flamengo!», disse Bolsonaro na ocasião. Jair Bolsonaro também já apareceu ao menos duas vezes usando camisa de um time não tão conhecido, o São Vicente Atlético Clube, da cidade homônima do litoral paulista. Na final do Campeonato Carioca de 2021 vencido pelo Fla sobre o Flu, Jair Bolsonaro, mais uma vez, não escondeu a torcida pelo Rubro-Negro.

Quem é o presidente da República Lula ou Bolsonaro?

Em disputa apertada, Lula derrota Bolsonaro e é eleito presidente da República Eleições 2022 Luiz Inácio Lula da Silva foi eleito presidente do Brasil com mais de 60 milhões, trezentos e quarenta mil votos. No dia 1º de janeiro de 2023, ele assume o terceiro mandato à frente do Palácio do Planalto e se torna o político mais vezes levado ao comando do Poder Executivo pelo voto direto na história da República. Quem Foi Melhor No Debate Da Band Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil Transcrição LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA É ELEITO PRESIDENTE DA REPÚBLICA COM MAIS DE 60 MILHÕES DE VOTOS EM DISPUTA APERTADA, CANDIDATO DO PT SUPERA JAIR BOLSONARO NAS URNAS E VOLTARÁ AO PALÁCIO DO PLANALTO DEPOIS DE 12 ANOS Luiz Inácio Lula da Silva foi eleito presidente do Brasil com mais de 60 milhões, trezentos e quarenta mil votos, 50,90% dos válidos.

  1. No dia 1º de janeiro de 2023, ele assume o terceiro mandato à frente do Palácio do Planalto e se torna o político mais vezes levado ao comando do Poder Executivo pelo voto direto na história da República.
  2. O atual presidente Jair Bolsonaro, candidato à reeleição, obteve mais de 58 milhões, duzentos e cinco mil votos, 49,10% dos válidos,

No primeiro turno, em 2 de outubro, Lula havia obtido 48,4% dos votos, contra 43,2% de Bolsonaro. Lula nasceu em Garanhuns, em Pernabuco, no dia 27 de outubro de 1945. Aos sete anos, migrou com a família para Santos. Trabalhou em indústrias de metalurgia e foi presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e Diadema.

  • Liderou greves na região do ABC Paulista durante a ditadura militar e, em 1980, participou da fundação do Partido dos Trabalhadores.
  • Lula foi deputado federal por São Paulo em 1987 e, em 1989 tentou, pela primeira vez, chegar à presidência.
  • Conquistou o cargo 13 anos depois, em 2002, e foi reeleito em 2006.

É considerado o presidente com maior aprovação popular da história do país. Os mandatos do petista foram marcados por crescimento econômico e ascensão social de boa parte da população, compromisso que ele definiu como prioridade no seu novo mandato Nosso compromisso mais urgente é acabar outra vez com a fome.

Se somos o terceiro maior produtor mundial de alimentos e o primeiro de proteína animal, se temos tecnologia e uma imensidão de terras agricultáveis, se somos capazes de exportar para o mundo inteiro, temos o dever de garantir que todo brasileiro possa tomar café da manhã, almoçar e jantar todos os dias.

Lula também disse que vai governar para 215 milhões de brasileiros e não para dois países A partir de 1º de janeiro de 2023 vou governar para 215 milhões de brasileiros, e não apenas para aqueles que votaram em mim. Não existem dois Brasis. Somo um único país, um único povo, uma grande nação Após a oficialização do resultado, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Alexandre de Moraes, elogiou o sistema de apuração e disse que as eleições mostraram que os brasileiros confiam nas urnas eletrônicas e na justiça eleitoral.

  • Não existe país no mundo, 3h e meia, 3h e 40 depois do término das eleições, proclama o resultado com absoluta segurança, eficiencia e competência Segundo o ministro, a eleição se encerra sem o risco de o resultado das urnas ser contestado.
  • Até o fechamento desta matéria, o presidente Jair Bolsonaro, que tentava a reeleição, não havia se manifestado.

Da Rádio Senado, Pedro Pincer : Em disputa apertada, Lula derrota Bolsonaro e é eleito presidente da República