Especias Mixtli

Consejos | Trucos | Comentarios

Qual O Colesterol Bom?

O que é o colesterol LDL alto?

A LDL carrega o colesterol do fígado para as artérias. Dessa forma, quanto mais alto LDL-colesterol, ou seja, o colesterol carregado pelas LDL, e mais baixo o HDL-colesterol (aquele carregado pelas HDL) maior será o risco de doenças cardiovasculares, o contrário com raríssimas exceções também é verdade.

Qual é o valor do colesterol bom?

Colesterol | Pfizer Brasil Home Sua Saúde Seu Coração Colesterol O que chamamos normalmente de colesterol é, na verdade, a soma de diferentes tipos de colesterol. Alguns deles, quando estão em níveis mais altos, podem formar uma placa nas paredes das artérias e dificultar ou impedir a passagem do sangue.

  • Quanto mais elevadas as taxas, maior é o risco de sofrer uma doença coronariana, a forma mais comum da doença cardíaca.
  • Por que controlar o colesterol? O colesterol é um composto gorduroso utilizado para a produção das membranas celulares e de alguns hormônios.
  • Existem diferentes tipos – HDL, LDL e VLDL -, sendo que o organismo fabrica a maior parte do que necessita.

Porém, o colesterol também é encontrado em alimentos de origem animal, como ovo, carne e leite.

Lipoproteínas de baixa densidade (LDL) ou colesterol «ruim» – pode prender-se nas paredes das artérias formando placas de gordura. Com o passar do tempo, é possível que elas dificultem ou impeçam a passagem do sangue provocando angina (dor no peito) ou até mesmo um infarto (ataque cardíaco). Quanto mais elevado o nível de LDL, maior é o risco de desenvolver uma doença cardíaca. Para a maioria das pessoas, o ideal é que a taxa de LDL fique abaixo de 130 mg/dl. Lipoproteínas de alta densidade (HDL) ou colesterol «bom» – ajuda a remover o excesso de colesterol do sangue. Quanto mais elevados os níveis de HDL, menores são os riscos de desenvolver uma doença cardíaca. O ideal é que a taxa de HDL seja superior a 40 mg/dl. Lipoproteína de densidade muito baixa (VLDL) – este é um tipo de colesterol que transporta mais triglicérides, outro tipo de gordura presente no sangue, do que colesterol. Os níveis mais altos de VLDL podem causar acúmulo de gordura nas artérias, o que também aumenta os riscos de doenças cardíacas.

Um estilo de vida mais saudável ajuda a reduzir a taxa do colesterol Você pode adotar hábitos saudáveis para ajudar a diminuir o nível de colesterol ruim e o risco de ter doença cardíaca. Mesmo se você já tiver uma doença cardíaca, isso ajuda a prevenir problemas futuros.

Conheça seus níveis de colesterol É possível que você tenha taxas altas de colesterol e nem saiba. O aumento acontece ao longo dos anos sem qualquer sintoma. Um dia, sem aviso, você pode sofrer um ataque cardíaco. Para evitar que isso aconteça, é preciso manter os níveis de colesterol no sangue sempre controlados.

Exercícios físicos e o colesterol A prática de exercícios físicos pode elevar a concentração de HDL (colesterol «bom») no sangue e diminuir a de LDL (colesterol «ruim»). Antes de começar a praticar, é importante consultar o médico para saber se você tem algum tipo de impedimento e quais tipos de exercícios são mais adequados para você.

Coma moderadamente carnes e derivados de leite integral; Prefira peixes e frango sem pele ao invés de carnes vermelhas, eles têm menos gorduras; Prefira leite e derivados com menos gordura; Coma à vontade verduras, legumes e frutas frescas; Coma leguminosas (feijão, ervilha, lentilha etc.) e prefira cereais integrais (como arroz, aveia e trigo) e massas feitas com eles; Cozinhe os alimentos com um mínimo de gordura, é possível preparar vários dos seus pratos favoritos com muito pouca; Prefira os alimentos cozidos, refogados, grelhados ou assados ao invés de fritos; Refogue os alimentos com pouco óleo, utilize caldos não gordurosos; Tire a gordura de carnes e a pele de frangos; Doure a carne e drene a gordura antes de adicionar outros ingredientes; Tenha moderação na quantidade de creme de leite, chocolates, sorvetes à base de leite, presunto e demais embutidos.

Se você tem diabetes, procure a orientação de um médico sobre as adaptações necessárias na alimentação para diminuir o colesterol. Referências PP-PFE-BRA-3445 : Colesterol | Pfizer Brasil

Qual o valor normal do colesterol HDL e LDL?

A importância de acompanhar os níveis de colesterol

Valores em mg/dl Colesterol total HDL (colesterol bom)
Ideal Menor que 200 Maior que 50
Superior Entre 200 e 240 Entre 35 e 49
Indesejável Maior que 240 Menor que 35

Quando o colesterol LDL é preocupante?

Triglicerídeos –

Normal: menor que 150 mg/dL com jejum e menor que 175 mg/dL sem jejum. Valores acima destes já são considerados preocupantes.

Quando o LDL é perigoso?

Triglicerídeos –

Normal: menor que 150 mg/dL com jejum e menor que 175 mg/dL sem jejum. Valores acima destes já são considerados preocupantes.

Quando o HDL é preocupante?

Esta publicação também está disponível em: Português Que o HDL é classicamente chamado de » colesterol bom «, todos sabem! Seria então o colesterol HDL alto um preditor de menor mortalidade? Numerosos estudos demonstraram uma relação inversa entre o HDL e o risco cardiovascular: quanto menores seus níveis, maior é o risco de incidência de doenças ateroscleróticas, por exemplo. Por outro lado, níveis mais altos desta lipoproteína são muitas vezes vistas como protetores. No entanto, os tratamentos farmacológicos que tiveram por meta aumentar os níveis de HDL (por exemplo, niacina, ou inibidores da CETP) não conseguiram provar benefício em reduzir o risco de eventos cardiovasculares, alguns até mesmo com sinais de possível dano. (para mais detalhes, confira em https://cardiopapers.com.br/o-papel-hdl-colocado-em-xeque/) Mas e se o HDL estiver muito alto? Ao longo do tempo, pouca atenção foi dada àqueles com níveis muito altos de HDL, e estudos mais recentes em populações saudáveis começaram a sugerir que possa haver uma associação paradoxal com maior mortalidade nesse grupo. Para verificar melhor essas observações, pesquisadores examinaram os dados de duas coortes prospectivas, acompanhadas no Reino Unido e nos EUA, para verificar a associação entre o nível de HDL muito alto (definida como maior que 80 mg/dL) e a mortalidade em pacientes com doença arterial coronária (DAC). Tanto entre os 14.500 ingleses (idade média 62 anos; 76% homens) quanto os 5.500 norte-americanos (idade média 64 anos; 66% homens) incluídos no estudo, houve uma associação em forma de «U» entre nível de HDL e mortalidade. Ou seja, comparado a níveis de HDL entre 40-60 mg/dL, aqueles com valores mais baixos (≤30 mg/dL) ou mais elevados (>80 mg/dL) apresentaram risco significativamente maior de morte cardiovascular e morte por todas as causas. Na população do Reino Unido, por exemplo, após ajuste para os fatores de confusão, pacientes com HDL >80 mg/dL tiveram um risco de morte 70% maior do que aqueles com níveis médios. Curiosamente, este risco foi maior entre os homens do que entre as mulheres. Esses achados sugerem que níveis muito elevados de HDL estão paradoxalmente associados a maior mortalidade em indivíduos com DAC. Tanto níveis muito baixos ou muito altos de HDL devem servir como um alerta para o clínico, sinalizando que o paciente possa estar em maior risco. Isso deve instigar o médico a instituir estratégias mais agressivas de prevenção, seja no controle do peso, pressão arterial, ou mesmo os níveis de LDL. Ao avaliarmos um paciente com HDL muito elevado, devemos mudar a abordagem de » seu colesterol ‘bom’ é excelente, está muito alto » para » seu HDL é muito elevado, e nós vamos acompanhar isso mais de perto! » Por enquanto, tanto tratamentos que aumentem ou reduzam o HDL não são indicados. Referência: Liu C, Dhindsa D, Almuwaqqat Z, et al. Association Between High-Density Lipoprotein Cholesterol Levels and Adverse Cardiovascular Outcomes in High-risk Populations. JAMA Cardiol. Published online May 18, 2022. doi:10.1001/jamacardio.2022.0912 https://jamanetwork.com/journals/jamacardiology/article-abstract/2792282 Qual O Colesterol Bom Qual O Colesterol Bom Qual O Colesterol Bom

See also:  Onde Comprar Livros Baratos?

Qual o limite do colesterol ruim?

Os valores considerados normais devem ser estar em torno de 200mg/dL; Ligeiramente altos quando estão entre 200 e 239 mg/dL e altos quando estão acima de 240 mg/dL.

Quando o colesterol LDL é considerado baixo?

O colesterol é uma substância importante para o organismo. São várias as suas funções, como manter o funcionamento adequado da membrana celular e transportar vitaminas lipossolúveis (aquelas que se dissolvem apenas em substâncias gordurosas, como as vitaminas A, D, E e K) pelo sangue.

Muito se fala na necessidade de diminuir o nível de colesterol no sangue para evitar, principalmente, as doenças cardiovasculares. Mas será que é saudável mantê-lo em um nível muito baixo? Segundo o Dr. Fábio de Cerqueira Lario, coordenador do Núcleo de Cardiologia Geral e Prevenção do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, já está bem determinado que o nível elevado de colesterol (LDL) no sangue está associado ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares e deve ser controlado.

Entretanto o nível muito baixo também pode se associar a problemas de saúde, como depressão, câncer e déficit de vitaminas. Contudo o nível mínimo considerado saudável ainda é objeto de debate no meio científico. Segundo ele, existe certo consenso de que valores do LDL-Colesterol (¨colesterol ruim») menores que 40 mg/dl no sangue são considerados baixos, entretanto, estudos recentes não demonstraram efeitos colaterais graves mesmo quando esse valor foi reduzido até 25 mg/dl.

  • Dr. Lario alerta também para os índices considerados aceitáveis para o colesterol, que podem variar de pessoa para pessoa.
  • Nas pessoas que possuem risco mais elevado de desenvolver uma doença cardiovascular, fumam, são sedentárias, diabéticas, hipertensas e com idade mais avançada, os níveis de colesterol devem ser mais baixos.

Em contrapartida, se o nível de colesterol for o único fator de risco e não for excessivamente alto, pode-se tolerar um valor um pouco maior», ressalta. O uso de medicamentos como as estatinas chegam a reduzir o colesterol em até 60%. Mas eles devem ser usados apenas com orientação médica, em geral por pessoas que já desenvolveram doenças do coração relacionadas ao depósito de colesterol nas artérias ou que apresentam risco mais elevado de desenvolvê-las.

O que significa LDL acima de 130?

Níveis de LDL colesterol 100 mg/dL a 129 mg/dL: Próximo ou acima do valor ótimo; 130 mg/dL a 159 mg/dL: Limítrofe ; 160 mg/dL a 189 mg/dL: Alto; 190 mg/dL ou superior: Muito alto.

O que significa LDL 75?

Valores ideais (em mg/dl) – As diretrizes da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) não diferenciam os valores ideais de colesterol total, HDL e triglicérides entre pessoas de baixo, médio ou alto risco:

Colesterol total: Abaixo de 190; HDL: Acima de 40; Triglicérides: Abaixo de 150.

Já os valores máximos de LDL são separados dependendo do grau de risco do paciente:

Risco baixo: Abaixo de 130; Risco intermediário: Abaixo de 100; Risco alto: Abaixo de 70.

: Conheça os níveis ideais de colesterol no sangue

O que é mais perigoso colesterol e triglicerídeos?

Triglicérides pode ser mais perigoso que colesterol para AVC, diz estudo Um estudo de pesquisadores na Dinamarca mostrou que o nível de triglicérides sem jejum está relacionado a um risco maior de AVC em homens e mulheres. Já o colesterol alto esta associado a tal risco apenas entre os homens.

A pesquisa, que analisou dados de 33 anos, foi publicada pelo jornal científico «Annals of Neurology». Evidências médicas sugerem que o alto nível de triglicérides sem jejum demonstra uma grande quantidade de fragmentos de lipoproteínas, partículas semelhantes ao LDL – conhecido como «colesterol ruim».

Ambos contribuem para a formação de placas que podem levar ao entupimento das vias coronarianas. «Interessantemente, as guias atuais de prevenção de derrames têm recomendações quanto a níveis desejáveis de colesterol, mas não de triglicérides sem jejum», disse a autora do artigo, Dra.

Marianne Benn, do Hospital Universitário de Copenhague. «Nosso estudo foi o primeiro a examinar o risco de derrame para níveis muito altos de triglicérides sem jejum em comparação com níveis muito altos de colesterol na população geral», prosseguiu. Mulheres com o triglicérides em 443 mg/dL têm uma possibilidade quase 3,9 vezes maior de sofrerem um derrame, em comparação com as que tem o nível em até 89 mg/dL.

Entre os homens, com estes mesmos indicadores, o risco é 2,3 vezes maior. No entanto, quando o nível de colesterol passa de 348 mg/dL, o risco relativo sobe para 4,4. O estudo acompanhou 7.579 mulheres e 6.372 homens, todos brancos e de origem dinamarquesa.

  1. Seus dados começaram a ser coletados entre 1976 e 1978 e foram analisados ao longo de até 33 anos.
  2. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), as doenças coronarianas são a principal causa de mortes no mundo.
  3. A estimativa mais recente, de 2004, apontou que 17,1 milhões de pessoas morriam em decorrência delas por ano; 5,7 milhões por causa de derrames.

: Triglicérides pode ser mais perigoso que colesterol para AVC, diz estudo

Quando o colesterol não HDL é considerado alto?

Valores do colesterol não-HDL: Entre 131 e 160 mg/dL – Normal. Entre 161 e 190 mg/dL – Normal/alto. Entre 191 e 220 mg/dL – Alto. Maior que 220 mg/dL – Muito alto.

O que sentimos quando o colesterol está alto?

Colesterol alto tem sintomas? – Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o colesterol alto não apresenta sintomas na maioria dos casos, Isso reforça ainda mais a importância da realização de exames de rotina, onde serão medidos esses valores e, se for necessário, iniciado o tratamento. Qual O Colesterol Bom Formação de placas de gordura nas artérias E esse risco é ainda maior para pessoas diabéticas ou com pré-diabetes, que possuem 3 a 4 vezes mais chance de apresentar entupimento das artérias. E engana-se quem pensa que somente pessoas com sobrepeso ou obesidade têm risco de apresentar colesterol alto. Leia também: Como saber se é hora de procurar um cardiologista?

O que significa colesterol LDL 170?

Valores de colesterol HDL e LDL Entre 131 e 160 mg/dL: normal/alto. Entre 161 e 190 mg/dL: alto. Maior que 190 mg/dL: muito alto.

Quais são os sintomas quando o colesterol está alto?

Quais são os sintomas de colesterol alto? – O colesterol alto não dá sinais nem apresenta qualquer sintoma suspeito. Por isso, é fundamental manter a rotina de exames e o acompanhamento médico. Agendar Exame

Qual o colesterol que prejudica o coração?

Os diferentes tipos de colesterol – A composição do colesterol é uma só, o que muda é o seu meio de transporte, ou seja, a lipoproteína a qual está associado. Ela pode ser de alta ou de baixa densidade, dependendo da composição, com funções diferentes.

Colesterol LDL: o colesterol combinado às lipoproteínas de baixa densidade é chamado de LDL. Em excesso, pode se depositar nas paredes das artérias, formando placas que aumentam o risco de obstrução e, consequentemente, de infarto e acidente vascular cerebral. Por isso, o LDL é conhecido como «colesterol ruim» e seu nível deve ser mantido baixo. Colesterol HDL: quem «tira» o colesterol das células para ser eliminado são as lipoproteínas de alta densidade, que quando combinadas ao colesterol, são denominadas HDL. Ele ajuda a evitar a obstrução das artérias, sendo conhecido como «colesterol bom» e seu nível deve ser mantido alto.

See also:  O Que OxíTona?

A produção do colesterol acontece em grande parte no fígado e é liberado na corrente sanguínea e distribuído para os tecidos, onde pode ser utilizado ou armazenado no tecido adiposo, que é a camada de gordura que o corpo possui abaixo da pele. Os altos níveis do «colesterol ruim» estão relacionados a doenças do coração, complicação na aorta (principal artéria do corpo), além de demência e acidente vascular encefálico – o derrame cerebral.

É verdade que o ovo aumenta o colesterol?

No começo dos anos 70, após a American Heart Association estabelecer um limite de 300 mg de ingestão de colesterol por dia, o ovo foi taxado injustamente como um alimento nocivo à saúde, uma vez que sozinho possui 180 mg de colesterol, excedendo facilmente essa taxa quando somada a outras fontes de colesterol, gorduras saturadas e gorduras trans que completam nossa alimentação diária.

Mas o que tem de verdade nessa história? Para contextualizar, o colesterol é definido como um álcool que circula no sangue associado a um ácido graxo ou gordura para chegar ao seu destino como membranas, sistema nervoso e afins. Entre suas funções no organismo estão a síntese de hormônios sexuais, vitamina D e secreção biliar.

Além disso, o colesterol compõe as membranas celulares e tecido nervoso, por isso, é essencial para o bom funcionamento do organismo. Sendo assim, tendo em vista a importância do colesterol para organismo e que sua presença é fundamental, a gema naturalmente é fonte de colesterol pelo fato de que a partir do ovo, pode se gerar um novo ser.

Entretanto, é importante saber que 70 % do colesterol que circula no organismo é produzido pelo fígado, justamente para dar conta de toda a demanda do corpo. Com o avanço da ciência, temos cada vez mais estudos mostrando que o ovo não aumenta o risco de doenças cardiovasculares e de acordo com Di Marco e colaboradores, o consumo de 2 a 3 ovos por dia melhoram o HDL, o colesterol bom e ainda aumenta a luteína e zeaxantina sérica que tem uma função antioxidante.

Vale lembrar que a composição do ovo como fonte de proteína e colina além de todo o composto de vitaminas, minerais, carotenóides contribuem para uma alimentação saudável. De toda forma, assim como tudo na vida é preciso ser balanceado, para a nutricionista, é fundamental a adoção de alimentação equilibrada composta também de verduras, legumes, alimentos integrais com redução de açucares, frituras, gorduras saturadas e trans. Receba diariamente as principais notícias do agronegócio direto no seu e-mail e mantenha-se bem informado. Lista de Transmissão Entre para a nossa lista de Transmissão no WhatsApp ou Telegram e fique por dentro de todas as novidades do agronegócio. Selecione abaixo o aplicativo

É bom ter o HDL alto?

Esta publicação também está disponível em: Português Que o HDL é classicamente chamado de » colesterol bom «, todos sabem! Seria então o colesterol HDL alto um preditor de menor mortalidade? Numerosos estudos demonstraram uma relação inversa entre o HDL e o risco cardiovascular: quanto menores seus níveis, maior é o risco de incidência de doenças ateroscleróticas, por exemplo. Por outro lado, níveis mais altos desta lipoproteína são muitas vezes vistas como protetores. No entanto, os tratamentos farmacológicos que tiveram por meta aumentar os níveis de HDL (por exemplo, niacina, ou inibidores da CETP) não conseguiram provar benefício em reduzir o risco de eventos cardiovasculares, alguns até mesmo com sinais de possível dano. (para mais detalhes, confira em https://cardiopapers.com.br/o-papel-hdl-colocado-em-xeque/) Mas e se o HDL estiver muito alto? Ao longo do tempo, pouca atenção foi dada àqueles com níveis muito altos de HDL, e estudos mais recentes em populações saudáveis começaram a sugerir que possa haver uma associação paradoxal com maior mortalidade nesse grupo. Para verificar melhor essas observações, pesquisadores examinaram os dados de duas coortes prospectivas, acompanhadas no Reino Unido e nos EUA, para verificar a associação entre o nível de HDL muito alto (definida como maior que 80 mg/dL) e a mortalidade em pacientes com doença arterial coronária (DAC). Tanto entre os 14.500 ingleses (idade média 62 anos; 76% homens) quanto os 5.500 norte-americanos (idade média 64 anos; 66% homens) incluídos no estudo, houve uma associação em forma de «U» entre nível de HDL e mortalidade. Ou seja, comparado a níveis de HDL entre 40-60 mg/dL, aqueles com valores mais baixos (≤30 mg/dL) ou mais elevados (>80 mg/dL) apresentaram risco significativamente maior de morte cardiovascular e morte por todas as causas. Na população do Reino Unido, por exemplo, após ajuste para os fatores de confusão, pacientes com HDL >80 mg/dL tiveram um risco de morte 70% maior do que aqueles com níveis médios. Curiosamente, este risco foi maior entre os homens do que entre as mulheres. Esses achados sugerem que níveis muito elevados de HDL estão paradoxalmente associados a maior mortalidade em indivíduos com DAC. Tanto níveis muito baixos ou muito altos de HDL devem servir como um alerta para o clínico, sinalizando que o paciente possa estar em maior risco. Isso deve instigar o médico a instituir estratégias mais agressivas de prevenção, seja no controle do peso, pressão arterial, ou mesmo os níveis de LDL. Ao avaliarmos um paciente com HDL muito elevado, devemos mudar a abordagem de » seu colesterol ‘bom’ é excelente, está muito alto » para » seu HDL é muito elevado, e nós vamos acompanhar isso mais de perto! » Por enquanto, tanto tratamentos que aumentem ou reduzam o HDL não são indicados. Referência: Liu C, Dhindsa D, Almuwaqqat Z, et al. Association Between High-Density Lipoprotein Cholesterol Levels and Adverse Cardiovascular Outcomes in High-risk Populations. JAMA Cardiol. Published online May 18, 2022. doi:10.1001/jamacardio.2022.0912 https://jamanetwork.com/journals/jamacardiology/article-abstract/2792282 Qual O Colesterol Bom Qual O Colesterol Bom Qual O Colesterol Bom

Quando o HDL é considerado alto?

Nível de HDL elevado corresponde a HDL colesterol > 80 mg/dL (> 2,1 mmol/L). (Ver também Visão geral do metabolismo lipídico. Os triglicerídios e o colesterol contribuem para a maioria das doenças, apesar de todos os lipídios serem fisiologicamente

Quando o HDL é considerado muito baixo?

Os valores de referência do HDL são: Baixo: menor que 40 mg/dL para homens e mulheres. Ideal: acima de 40 mg/dL.

O que causa o colesterol LDL alto?

Alimentação rica em gordura saturada, excesso de peso, sedentarismo, consumo abusivo de bebidas alcoólicas, estresse, hereditariedade, idade e sexo. As mulheres costumam ter um aumento no nível do colesterol ruim após o início da menopausa.

O que fazer quando o colesterol LDL está alto?

SOCERJ – Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro

Colesterol Ateno para os seguintes aspectos: O que colesterol? Como o colesterol leva doena do corao? Por qu importante controlarmos o colesterol o sangue? Quando se deve dosar o colesterol e quem deve ser tratado? O que so triglicerdeos e como afetam as artrias? O que influencia o nvel de colesterol no sangue? Qual o tratamento para nveis elevados de colesterol e triglicerdeos?

– O colesterol produzido no fgado e circula no sangue «encapsulado» por lipoprotenas. – O colesterol um componente fundamental para a integridade das clulas e para a produo de hormonios. Seu excesso na circulao, entretato, danoso ao organismo. – Uma destas lipoprotenas, o LDL-colesterol est implicado no risco de doena coronariana.

– A cada 5 anos a partir dos 20 anos, recomenda-se dosar o colesterol no sangue. – As recomendaes para o tratamento do colesterol alto devem levar em considerao os nveis de colesterol total, LDL, HDL e a associao com outros fatores de risco para doena coronariana. – Dietas ricas em colesterol e gorduras saturadas podem aumentar os nveis circulantes de colesterol.

Dietas ricas em gorduras insaturadas podem baixar os nveis de colesterol. – O tratamento do colesterol alto, consiste em dieta, perda de peso, exerccios e, nos casos indicados, medicao. Colesterol um composto qumico gorduroso que integra a membrana das clulas do organismo.

A maior parte sintetizada no fgado e transportada no sangue por protenas especiais, as «lipoprotenas», encarregadas da distribuio deste colesterol por todas as clulas do corpo. As mais imporantes so o LDL e o HDL. Como esta substncia integra as clulas do corpo, natural que os alimentos de origem animal sejam ricos em colesterol.

Os vegetais, por sua vez, so pobres em colesterol. O LDL o mais importante carreador de colesterol no sangue. Costuma ser denominado «mau colesterol» porque seu excesso no sangue associa-se a doena das artrias coronarias. A LDL lipoproteina deposita o excesso de colesterol na parede das artrias provocando a formao de placas gordurosas que estreitam os vasos e podem impedir a circulao do sangue.

  • Estas placas de aterosclerose podem localizar-se nas artrias que nutrem o corao, as coronrias, dificultando a circulao do sangue e podendo levar isquemia do msculo cardaco, ou seja, ao sofrimento do corao por falta de sangue e oxigenao adequada.
  • A isquemia pode provocar dor no peito (angina) e um cogulo formado na regio da placa pode, por fim, bloquear completamente a passagem do sangue, provocando o infarto.
See also:  Como Eu Sei Que Estou GrVida?

As HDL lipoprotenas, ou «bom colesterol» remove o colesterol da parede das artrias, levando-o de volta ao fgado. Quanto maior sua cocentrao no sangue, maior a proteo conferida contra o excesso de colesterol e a doena aterosclertica. Os seguintes fatores aumentam o risco de doena coronariana: – Colesterol alto – Fumo – Presso alta – Diabete – Obesidade – Idade: homens acima de 45 anos e mulheres acima de 55 anos – Sexo masculino – Histria de doena coronariana nos familiares prximos Juntamente com o fumo e a presso alta, o colesterol um dos principais fatores de risco para doena coronariana passveis de controle.

Idade, sexo, histria familiar so considerados fatores de risco no modificveis. O controle do colesterol retarda o endurecimento das artrias e pode mesmo reverter o processo de crescimeto da placa, ou seja, levar sua regresso, ainda que parcial. Estudos clnicos demonstraram que a queda de um ponto percentual nos nveis de colesterol associa-se com uma queda de dois pontos percentuais (o dobro!) no risco de ataque cardaco.

Recentemente demonstrou-se que o tratamento agressivo do colesterol alto com medicamenos e dieta reduziu significativamente o risco de morte decorrente de aterosclerose coronariana, alm de melhorar a sobrevida dos pacientes. Recomenda-se dosar o colesterol no sangue a cada 5 anos a partir dos 20 anos de idade.

  1. A chance de desenvolver doena do corao aumenta proporcionalmente ao aumento do colesterol.
  2. Os nveis ideais situam-se abaixo de 200 mg/dl.
  3. Indivduos acima de 35 anos e com colesterol em nveis ideais no precisam de tratamento.
  4. Quem tiver colesterol total elevado e LDL acima de 130, necessita dieta, perda de peso e exerccios.

Recomenda-se o uso de medicao para aqueles com LDL alto, acima de 190 apesar da dieta. Para quem tiver mais de dois fatores de risco, a recomendao de remdios feita em nveis mais baixos de LDL, por volta de 160. J para os indivduos sabidamente portadores de doena coronariana, recomenda-se uma abordagem mais agressiva: remdios para quem tiver LDL acima de 130, visando deix-lo abaixo de 100.

Os triglicerdeos so a principal gordura originria da alimentao, mas podem ser sintetizados pelo organismo. Altos nveis de triglicerdeos (acima de 200) associam-se maior ocorrncia de doena coronariana, muito embora altos nveis de triglicerdeos costumem acompanhar-se de baixos nveis de HDL, sendo, portanto difcil apontar o verdadeiro «vilo»: se o riglicerdeo alto ou se o HDL baixo»; A ingesto de gordura, doces e alcool pode elevar os triglicerdeos, razo pela qual deve-se medir sua concentrao no sangue aps 12 horas de jejum.

Triglicerdeos muito altos, acima de 400-500, podem causar inflamao do pancreas (pancreatite) e devem, pois, ser tratados agresivamente com dieta e drogas. Volta e meia escutamos no consultrio mdico um paciente reclamando pelo fato de no ser gordo, no comer «gordura» e mesmo assim ter colesterol alto.

No obstante o aumento de peso e a ingesto de gordura animal possam aumentar o colesterol, o componente hereditrio decisivo. Aquele indivduo tem colesterol alto constitutivamente, porque os instrumentos de que o organismo, mais especificamente o fgado, lana mo para remover o excesso de colesterol circulante, no existem em quantidade suficiente ou no funcionam em sua plena capacidade.

Um a cada 500 adultos tm uma anormalidade gentica que impede o organismo de processar adequadamente o LDL colesterol. Tais indivduos tero o colesterol alto mesmo ingerindo-o em quantidades pequenas. As chamadas dietas ricas em gorduras saturadas, ao contrrio das insaturadas, tm a propriedade de aumentar o colesterol.

  1. Esse tipo de gordura principalmente encontrado nos alimentos de origem animal, principalmente carne, queijos, leite integral, manteiga, cremes.
  2. A maioria dos leos vegetais, exceo feita gordura de coco e leo de cacau, rica em gorduras insaturadas e no eleva o colesterol.
  3. Os leos de oliva e canola so ricos em gorduras monoinsaturadas e podem at mesmo ter um efeito protetor contra a aterosclerose coronariana.

Infelizmente alguns leos vegetais podem ser convertidos em gorduras saturadas por processos industriais de hidrogenao: so justamente aqueles responsveis pelas margarinas «cremosas» Para comear, dieta, exerccios fsicos e perda de peso constituem o trip insubstituvel mesmo para quem precisa de remdios para baixar o colesterol.

  1. A reduo da ingesto de colesterol e gorduras saturadas e o aumento no consumo de fibras pode reduzir em 10 a 15% os nveis sanguneos de colesterol e em 15 a 20% os de triglicerdeos.
  2. Mas caso nveis elevados persistam com a dieta, indicam-se os medicamentos.
  3. Fundamental compreender que a eficcia do uso dos redutores de colesterol em prevenir morte cardaca e infarto depende de seu uso contnuo.

No adianta tomar um medicamento caro como a pravastatina por dois ou trs meses e parar. Isto jogar dinheiro fora! A colestiramina (Questran) um preparado que deve ser misturado com lquido. Uma vez no intestino, esta substncia fixa os sais biliares e impede a absoro de gordura e colesterol.

Entretanto, sua eficcia proporcional dose ingerida e, infelizmente, a tolerabilidade do organismo para doses acima de 2 a 3 saquinhos dirios bastante reduzida, podendo levar a nauseas, indigesto e constipao intestinal. Os fibratos, como o gemfibrozil (Lopid) tm mais ao sobre os triglicerdeos, ao mesmo tempo em que aumentam os nveis de HDL, o «colesterol bom».

Os inibidores da HMG CoA redutase (mevacor, pravacol, zocor, lipitor, citalor, reducol, minor, lipobay) so os mais eficazes e bem tolerados redutores de colesterol e atuam boloqueando a sntese desta substncia pelo fgado. Elas podem reduzir o LDL colesterol em 25 at 50%, ao passo que aumentam o HDL em 5 a 10%.

  1. At o momento, cinco estudos de grande porte documentaram a eficcia destes medicamentos em prevenir infartos e morte cardaca tanto em pacientes aparentemente saudveis, como em pessoas j portadoras de doena das artrias coronrias.
  2. No custa relembrar que estes resultados favorveis so dependentes de uso continuado! Pacientes com hipercolesterolemia familiar podem necessitar de combinaes de medicamentos e, nos casos mais graves, podem necessitar de recurso a aparelhos de «dilise» que removem o colesterol da circulao semelhana de uma hemodilise para pacientes.

: SOCERJ – Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro