Especias Mixtli

Consejos | Trucos | Comentarios

O Que Amigdalite?

O que provoca uma amigdalite?

O Que Amigdalite Amidalite ou amigdalite é uma doença infecciosa que atinge as amídalas (ou amígdalas) – dois órgãos que ficam no fundo da garganta e fazem parte do sistema de defesa do organismo, funcionando como a primeira barreira contra micro-organismos que nos invadem pela boca.

  1. A amidalite pode ser causada por vírus (mais frequentes nas crianças), por bactérias (atinge mais os jovens e os adultos) ou pela associação dos dois agentes.
  2. Geralmente, é transmitida por gotículas expelidas ao tossir, espirrar ou beijar.
  3. Também pode ser provocada quando se compartilha objetos pessoais como copos, xícaras, escovas de dentes, garrafas de água, garfos, colheres etc.

com outras pessoas, especialmente se estiverem doentes. Problemas como o refluxo gastroesofágico (retorno do líquido do estômago para a garganta) podem desempenhar papel importante no surgimento de episódios de laringite, faringite, amidalite ou rinossinusite, pois o líquido que volta para a garganta contém fatores que irritam e mudam a acidez na área desses órgãos, facilitando a proliferação de micro-organismos que levam às inflamações.

Os sintomas mais comuns são : – Febre; – Dor de garganta; – Falta de apetite; – Mau hálito; – Dificuldade para engolir; – Algumas pessoas podem sentir dor de ouvido; – Às vezes, inchaço dos gânglios do pescoço e da mandíbula. Na amidalite bacteriana podem aparecer, também, pontos de pus amarelado nas amídalas e pode haver uma camada amarelada na língua.

Geralmente, as amidalites não são graves. A maioria é provocada por vírus e desaparece espontaneamente. Porém, procure um médico se : – Os sintomas durarem mais de 4 dias sem sinal de melhora; – Houver dificuldade para respirar; – A dor e a dificuldade de engolir impedirem de comer ou beber.

Tratamento : Para tratar, é preciso saber se a amidalite é causada por vírus ou por bactérias. Nas amidalites por vírus, a infecção atinge a região das amídalas e faringe e deve ser tratada com analgésicos e anti-inflamatórios simples. Já nas amidalites bacterianas, que provocam grande inflamação nas amídalas associada ao aparecimento de placas de pus na região, é necessário o uso de antibióticos específicos.

Nesses casos, é importante maior rigor no tratamento, pois suspender a medicação assim que desaparecem os sintomas, sem completar o período prescrito pelo médico, pode provocar complicações graves. Caso as bactérias não sejam totalmente eliminadas, elas podem permanecer ativas no organismo e migrar para outros tecidos, causando problemas distantes da garganta, como febre reumática e inflamação dos rins.

Se a amidalite for crônica, outras causas devem ser pesquisadas para descobrir a razão da inflamação e buscar o tratamento adequado. A retirada das amídalas por cirurgia só é indicada em casos específicos que não melhoram com tratamento e se repetem várias vezes ao ano. Mesmo com a retirada das amídalas é possível ter dor de garganta porque a cirurgia não vai impedir que ocorram laringites ou faringites – essas são inclusive causa mais frequente de dor de garganta.

Prevenção e recomendações para evitar amidalite : – Lavar as mãos frequentemente; – Não beijar ninguém nos lábios se estiver com um resfriado ou dor de garganta; – Consultar o médico se tiver dor de garganta, febre ou glândulas inchadas; – Procurar ficar longe do cigarro.

Fumantes ativos e passivos estão mais propensos a infecções das amídalas; – Evitar ambientes com ar-condicionado, que resseca as mucosas e diminui a resistência das amídalas; – Em amidalites de repetição é importante afastar a hipótese de refluxo gastroesofágico; – Preferir bebidas mornas, sopas e alimentos macios, uma vez que são mais tolerados durante as crises; – Tomar muito líquido para hidratar as mucosas; – Quando se tratar de amidalite bacteriana, não deixar de tomar os remédios prescritos pelo médico só porque os sintomas desapareceram.

O medicamento deve ser tomado pelo período determinado para evitar complicações da doença; – Não se automedicar. Medicamentos usados sem indicação podem favorecer o desenvolvimento de bactérias resistentes. IMPORTANTE: Somente médicos e cirurgiões-dentistas devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios.

O que fazer para eliminar a amigdalite?

Existem alguns tipos de autocuidados para amigdalite, que, junto com o tratamento receitado pelo médico, podem ajudar a aliviar os sintomas. Gargarejo com água morna e sal, mastigar um pouco de alho ou acrescentar o alimento cru nas refeições e fazer gargarejo com bicarbonato de sódio são alguns exemplos.

Como saber se tá com amigdalite?

Como saber se a amígdala está inflamada? Quais os sintomas da amigdalite? – As amígdalas são normalmente visíveis, bastando olhar a parte posterior da garganta para notar duas pequenas áreas arredondadas e com uma tonalidade rosada. Quando elas estão inflamadas, é comum ficarem com tamanho aumentado e com vermelhidão na mucosa que as revestem.

  • tosse;
  • dor de garganta;
  • dificuldade em engolir;
  • mau hálito;
  • pus no fundo da garganta;
  • voz anasalada, como se estivesse resfriado;
  • dor de estômago;
  • dor de cabeça;
  • nódulos inchados nas laterais do pescoço;
  • febre.
  1. Para crianças em idade pré-escolar e bebês, os sinais que ajudam a identificar esse tipo de problema é a perda do apetite, saliva escorrendo da boca por dificuldade de engolir, aumento na irritação e choro.
  2. Ao apresentar esses sintomas, principalmente a febre, dor ao engolir e moleza, pode ser recomendado procurar atendimento médico para avaliar melhor o quadro.
  3. Por outro lado, dificuldade de respirar, deglutição muito prejudicada e muita salivação podem ser sinais de que o quadro é mais urgente, indicando a necessidade de ir ao pronto-socorro o quanto antes.

Quando a amigdalite e grave?

Complicações da Amigdalite A amigdalite é geralmente uma inflamação passageira e que se resolve vulgarmente ao fim de 5-7 dias. No entanto, pode causar complicações graves em casos pontuais. A complicação mais frequente é o abcesso peri-amigdalino.

Quantos dias demora para curar a amigdalite?

Quanto tempo dura a amigdalite viral? – Normalmente, a amigdalite é uma inflamação que não dura muito tempo. Em média, sua duração varia de 5 a 7 dias, realizando o tratamento adequado. No caso da amigdalite aguda, esse período pode levar algumas semanas.

Quanto tempo dura os sintomas da amigdalite?

A inflamação das amígdalas costuma durar de três a sete dias, em média, mas em alguns casos pode afetar o paciente por um tempo maior. Na versão crônica, os sintomas são mais duradouros e aparecem com certa frequência, sendo necessário consultar o médico para verificar a causa da recorrência.

Porque amigdalite dói tanto?

Justamente por funcionarem como uma barreira, essas estruturas são muito suscetíveis a processos infecciosos. Quando isso ocorre, as amígdalas se inflamam, ficam inchadas, doloridas e dificultam a passagem dos alimentos para o aparelho digestivo.

O que não comer quando está com amigdalite?

O que não comer quanto se está gripado ou com a garganta inflamada? – Sabendo o que é um alimento bom para gripe e garganta inflamada, podemos finalizar com uma breve abordagem do que deve ser evitado nessas situações. De modo geral, alimentos secos e crocantes devem ficar de fora da sua dieta temporariamente, eles podem arranhar a garganta, ficar presos e piorar a irritação na mucosa do esôfago, causando até mesmo pequenas lesões.

  1. Cereais e laticínios devem ser consumidos com cuidado, principalmente por quem apresenta sintomas de crises alérgicas, como garganta inflamada, coriza, coceira na garganta, entre outros.
  2. Esses alimentos podem piorar essas reações em alguns casos.
  3. Finalmente, temos alimentos gelados e frutas cítricas, que não são exatamente contraindicados, mas necessitam de cuidados.

Frutas como a laranja e o limão, ricas em vitamina C, podem ajudar na imunidade e no combate à gripe, mas sua acidez pode causar incômodo na garganta, principalmente em temperaturas mais baixas. Da mesma forma, sorvetes e sucos gelados podem diminuir o inchaço de uma inflamação na garganta por exemplo, mas algumas pessoas se queixam de desconforto ao ingerir alimentos em baixas temperaturas nessas condições, colocando uma ressalva nesse tipo de indicação.

No geral, a nossa lista de 5 alimentos bons para gripe e garganta inflamada consiste em recomendações mais amplas e assertivas, auxiliando no tratamento geral desses sintomas. Além disso, você também pode contar com toda a família Benegrip para tratar os sintomas de gripes e resfriados, além de ter à disposição nossos suplementos vitamínicos para fortalecer sua imunidade.

Encontre nossos produtos na loja online: Linha Benegrip, Benegrip tem a linha mais completa* do mercado para o tratamento dos sintomas de gripes e resfriados. Para promover o bem-estar e te ajudar a enfrentar a gripe, Benegrip está disponível em diferentes versões, para variados momentos e necessidades de toda a família! Benegrip: versão tradicional e eficaz contra os sintomas da gripe.

  • Com o poder dos 2 comprimidos (verde e laranja), combate as dores, febre, congestão nasal,
  • Saiba mais sobre Benegrip.
  • Benegrip Multi: : antigripal líquido infantil para crianças a partir de 2 anos.
  • Sua fórmula é feita à base de paracetamol, que combate as dores e a febre.
  • Além disso, tem descongestionante e antialérgico que ajuda a acabar com o nariz entupido.
See also:  O Que Fazer Quando A Ansiedade Ataca?

Conheça o Benegrip Multi para cuidar da gripe das crianças! Saiba mais sobre Benegrip Multi. Benegrip Multi Dia e Multi Noite Fórmulas pensadas especialmente para os diferentes sintomas do Dia e da Noite e com forte** poder analgésico e descongestionante.

  1. A versão Dia não dá sono e contém descongestionante nasal.
  2. Já a versão Noite tem antialérgico e ajuda a dormir melhor.
  3. Veja como Benegrip Multi Dia.
  4. E Benegrip Multi Noite.
  5. Podem te ajudar.
  6. Linha com a maior quantidade de SKUs do mercado de antigripais.
  7. Fonte: IQVIA-PMB Dez/21.
  8. Fórmula com alta concentração de ativos (800mg de paracetamol + 20mg de fenilefrina) Bula do produto: Benegrip.

Bula do produto: Benegrip Multi. Bula do produto: Benegrip Multi Dia. Bula do produto: Benegrip Multi Noite. Benegrip. dipirona monoidratada, maleato de clorfeniramina, cafeína. Indicações: tratamento sintomático da gripe e resfriado. MS 1.7817.0092. Benegrip Multi.

paracetamol, cloridrato de fenilefrina, maleato de carbinoxamina. Indicações: analgésico e antitérmico. Descongestionante nasal em processos de vias aéreas superiores. MS 1.7817.0768. Benegrip Multi Dia. paracetamol, cloridrato de fenilefrina. Indicações: para o tratamento dos sintomas das gripes e resfriados, como dor, febre e congestão nasal.

MS 1.7817.0869 Benegrip Multi Noite. paracetamol, cloridrato de fenilefrina, maleato de carbinoxamina. Indicações: para o tratamento dos sintomas das gripes e resfriados, como dor, febre, congestão nasal e coriza. MS 1.7817.0868. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.

Como fica a garganta com amigdalite?

Na amigdalite viral, não se aumenta tanto o tamanho da garganta, mas os gânglios, localizados ao redor do pescoço, costumam ficar com um tamanho maior devido à resposta do sistema imunológico.

Quando as amígdalas doem?

Causas e Sintomas As amigdalites são causadas principalmente por vírus e bactérias, mas podem ocorrer processos mistos e, às vezes, associações com fungos. Os vírus estão implicados com cerca de 50% a 70% das inflamações, especialmente os que causam também gripes e resfriados, como o adenovírus.

É aconselhável retirar as amígdalas?

Cirurgia para a retirada das amígdalas e consequências, conheça o que mito e verdade. – Posted: 25-10-2019 | Updated: 22-02-2022 Em um mundo cada vez mais conectado, somos bombardeados com milhares de informações sobre o que faz bem ou mal para nossa saúde.

Quando o assunto é a cirurgia para retirar as amígdalas, muitas dúvidas podem surgir. Afinal, esse procedimento faz mal para nossa saúde? Não existe um consenso médico sobre o assunto e cada caso precisa ser avaliado. Nós da Metlife nos empenhamos para que sua vida seja sempre melhor, em todos os sentidos.

Por isso, para aprimorar seus conhecimentos, você vai conhecer os mitos e verdades sobre a cirurgia para a retirada das amígdalas, que fazem parte do sistema de defesa do organismo e da mucosa respiratória. O que são as amígdalas e qual a sua função? As amígdalas são aglomerados de tecido que pertencem ao nosso sistema de defesa impedindo diversos tipos de infecções da mucosa respiratória e do aparelho digestivo.

  • Elas estão localizadas em ambos os lados da garganta e possuem o formato oval.
  • As amígdalas fazem parte do sistema imunológico local e se interagem com elementos agressores na produção e armazenamento de anticorpos.
  • É perigoso para a saúde operar as amígdalas? Não.
  • Embora as amígdalas desempenhem importante papel no sistema respiratório da garganta, elas não são essenciais, pois não são as únicas estruturas responsáveis pela imunidade da região.

Na verdade, toda a mucosa também pode exercer a mesma função. As amígdalas apenas podem exercer suas funções de defesa do sistema respiratório se suas estruturas estiverem preservadas. Se o órgão sofreu infecções ou algum dano que o está impedindo de exercer suas funções normais, ele pode ser extraído sem nenhum tipo de prejuízo à saúde.

Segundo os médicos, não há evidências de que as amígdalas são importantes após os 3 anos de idade. Minhas amígdalas nunca tiveram nada. Posso retirá-las assim mesmo? Ainda não existe um consenso médico sobre a retirada das amígdalas que estão saudáveis. Alguns otorrinolaringologistas só indicam a operação se o órgão tiver infecções constantes ou não estiver exercendo as suas funções corretamente.

No caso de amígdalas saudáveis, o recomendado é não extraí-las sem motivo, pois a cirurgia é invasiva e, como todo procedimento invasivo, pode trazer riscos. Já outros especialistas recomendam a extração das amígdalas mesmo se elas estiverem saudáveis, pois esse órgão não é essencial para o corpo e para evitar infecções futuras, além de possíveis complicações de saúde.

Cada caso deve ser analisado individualmente. Crianças podem fazer a retiradas das amígdalas? Sim. Geralmente em crianças, as amígdalas podem adquirir um tamanho muito grande, o que pode levar à obstrução da faringe e parte da laringe, principalmente durante o sono. Isso causa roncos com paradas respiratórias que podem trazer sérios problemas de saúde no futuro.

Os principais problemas causados em crianças que têm as amígdalas aumentadas são: sobrecarga cardiopulmonar, sonolência diurna, diminuição do rendimento escolar e baixo desenvolvimento estatural. Nesse caso, o indicado é fazer a extração das amígdalas o mais rápido possível.

Antes de qualquer decisão, é fundamental que você faça uma avaliação médica sobre o seu caso. Somente um especialista é quem pode decidir se a cirurgia da retirada das amígdalas é indicada ou não. A Metlife sempre pensa no seu bem-estar e tranquilidade, em todos os aspectos. Oferecemos diversos tipos de seguros vida para que você e sua família fiquem resguardados de quaisquer eventualidades.

Nossa equipe está sempre pronta para oferecer uma solução que mais se adequa às suas necessidades.

Quem está com amigdalite pode tomar sorvete?

Embora o gelado do sorvete ou das bebidas possa causar um alívio momentâneo, ele só ajudará se a dor de garganta for causada por um fator irritante, como a poluição. No entanto, se a causa for infecciosa, o sorvete ou as bebidas geladas podem piorar o quadro infeccioso.

É possível ter amigdalite sem febre?

Amigdalite vírica Já nas amigdalites víricas, por regra, há menos febre e as amígdalas não apresentam exsudatos à superfície. Em casos de incerteza diagnóstica, é possível efetuar-se uma colheita de material da superfície da amígdala para análise laboratorial.

Como saber se está com pus na garganta?

Pus na garganta, como identificar? A coloração do catarro é um indicador da presença do pus e da infecção na garganta O muco, que. A coloração do catarro é um indicador da presença do pus e da infecção na garganta O muco, que conhecemos como catarro, é produzido pelas nossas vias aéreas superiores (cavidades nasais, faringe e laringe) como um lubrificante natural.

Quanto tempo demora a sair o pus da garganta?

Quantos dias demora para sair o pus da garganta? – As placas de pus na garganta tendem a desaparecer de três a cinco dias, mas é necessário seguir com o tratamento até o fim, porque existem bactérias que podem ser resistentes.

See also:  Qual O Melhor Celular Da Samsung?

Como fortalecer a garganta contra infecções?

10 alimentos e nutrientes para a imunidade – A dor de garganta pode ser prevenida com alimentação adequada — Foto: Getty Images

  1. Vitamina C – limão, laranja, goiaba, manga, abacaxi, melão, kiwi, morango, lichia, acerola, caju, tangerina, tomate, brócolis, espinafre, aspargo, couve, repolho, rúcula, agrião (hortaliças cruas ou cozidas no vapor para não perder a vitamina C, que é sensível à luz e ao calor);
  2. Vitamina D – fígado de vitela e boi, gema de ovo, atum, sardinha, salmão, cogumelos, queijos (cheddar, suíço, ricota fresca), ostra, leite integral;
  3. Selênio – castanhas do Brasil ou do Pará (bastam 2 unidades ao dia);
  4. Zinco – gema de ovo, castanha de caju, ostras, semente de linhaça, chocolate amargo, camarão, semente de melancia, feijões;
  5. Cobre – fígado de vitela e boi, cereais integrais (aveia, arroz.), amêndoa, nozes, caju, ostras, mexilhões, chocolate amargo, amendoim sem pele;
  6. Omega 3 – salmão, sardinha, arenque (prepare com a pele – é lá que está a maior quantidade), sementes de linhaça e chia, nozes;
  7. Alho (fonte de aliina e alicina) – 1 dente macerado ao dia já ajuda;
  8. Alimentos fermentados – fornecem probióticos importantes para a microbiota intestinal – Kefir, Iogurtes naturais, kombucha, chucrute, tempê, missô;
  9. Gengibre (fonte de gingerol e shoagol) – compostos responsáveis pelas ações antipirética (febre), analgésica e atividades imunomoduladoras, entre outras. Comer no dia a dia, um pedaço pequeno cru ou ligeiramente cozido é um ótimo reforço.
  10. Própolis (rico em flavonoides) – responsáveis pelas ações antibacteriana, anti-inflamatória e antioxidante – 10 a 20 gotas, uma a duas vezes/dia.

Uma vez que a dor de garganta já está instalada, para diminuir a dor, a nutricionista recomenda evitar consumir alimentos muito duros (torradas, cereais ou granola, porque podem arranhar a garganta ao engolir e aumentam a dor), gelados e ácidos, pois pode irritar ainda mais a garganta e aumentar a dor.

– O ideal é dar preferência aos alimentos mais pastosos, como mingau, iogurte, vitaminas, purês, ovos mexidos e sopas, por exemplo, mas evitar o extremo de temperatura, ou seja, não consumir preparações muito quentes. Alimentos como o mel, chá morno de limão ou gengibre são excelentes opções porque ajudam a diminuir a sensação de irritação – destaca.

Em caso de febre alta e surgimento de pus, deve-se buscar orientação médica, pois pode ser necessário o uso de antibióticos.

Qual é a função da amígdala?

Elas são as mais importantes, pois guardam uma espécie de aquivo imunológico, ou seja, registram todos os vírus e bactérias que já entraram em contato com o corpo e ajudam a promover estratégias de defesa. Essa função de defesa, no entanto, dura apenas até os 8 anos de idade.

Como saber se a dor de garganta e vírus ou bactéria?

Recursos do assunto As infecções de garganta e/ou das amígdalas são comuns, particularmente em crianças.

Em geral, as infecções de garganta são causadas por um vírus, mas podem ser causadas por uma bactéria, como a bactéria estreptocócica. Os sintomas incluem dor intensa com inflamação e amígdalas vermelhas e inchadas. O diagnóstico é baseado em um exame da garganta. Se não for tratada, a amigdalofaringite causada por bactérias pode se transformar num abscesso. A dor é aliviada por analgésicos e uma infecção estreptocócica é tratada com antibióticos. Por vezes, é necessário extrair cirurgicamente as amígdalas.

As pessoas que têm suas amígdalas removidas ainda podem ter infecções de garganta. Pessoas com infecções de garganta sentem dor intensa ao engolir e, geralmente, ao falar. Por vezes, também se sente dor nos ouvidos. Algumas pessoas apresentam febre, cefaleia e náuseas.

As amígdalas ficam vermelhas e inchadas e, por vezes, têm manchas brancas. Os linfonodos do pescoço podem ficar inchados e sensíveis. Nas pessoas que têm infecções frequentes das amígdalas, os pequenos orifícios normais das amígdalas, por vezes, ficam cheios de secreções esbranquiçadas e endurecidas que parecem pequenas pedras.

Estas pedras podem reter bactérias causadoras de odor, provocando mau hálito crônico e podem predispor as pessoas a subsequentes acessos de amigdalite.

Avaliação médica Algumas vezes exames para verificar se há faringite estreptocócica

Os médicos reconhecem uma infecção de garganta através do exame visual da garganta. Entretanto, uma vez que as infecções virais e bacterianas geralmente produzem a mesma aparência na garganta, é difícil para os médicos saber se a causa é viral ou bacteriana somente olhando a garganta. No entanto, pessoas com nariz escorrendo e tosse provavelmente têm uma infecção viral.

Analgésicos Para faringite estreptocócica, antibióticos Algumas vezes, remoção cirúrgica das amígdalas

Analgésicos por via oral, como paracetamol, ou anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), frequentemente ajudam a reduzir a dor em pessoas com infecção de garganta. Gargarejos de água morna e sal são frequentemente recomendados, mas não parecem ajudar.

Alguns médicos também dão uma dose simples de um corticosteroide, dexametasona, especialmente se os sintomas forem graves; a dexametasona pode abreviar a duração dos sintomas. Também pode ajudar a diminuir o bloqueio das vias aéreas causado pela mononucleose. Pessoas com infecção estreptocócica recebem antibióticos, normalmente penicilina ou amoxicilina.

As pessoas alérgicas à penicilina devem tomar clindamicina. As pessoas que têm infecções estreptocócicas recorrentes nas amígdalas podem precisar removê-las (amigdalectomia), de acordo com as orientações sugeridas. Normalmente, são as crianças que precisam de amigdalectomia, inclusive as que tenham tido mais de seis infecções em um ano, mais de quatro infecções por ano em dois anos ou mais de três infecções por ano em três anos.

Os médicos consideram a amigdalectomia se a criança tiver uma infecção aguda que seja grave e persistente apesar de ser tratada com antibióticos, se a criança tiver obstrução significativa (incluindo distúrbio obstrutivo do sono) ou um abscesso periamigdaliano recorrente ou se suspeitarem de câncer.

Para adultos, os médicos não usam esses critérios específicos para quando realizar a amigdalectomia. No entanto, os médicos podem fazer amigdalectomia em adultos que tenham halitose grave devido às pedras nas amígdalas. Tanto para crianças como para adultos, os médicos permitem diferenças individuais quando decidem se devem ou não recomendar uma amigdalectomia.

  1. Há numerosas técnicas eficazes para amigdalectomia.
  2. Os médicos podem usar um bisturi ou um equipamento de eletrocautério, ou podem destruir as amígdalas usando ondas de rádio.
  3. Menos de 2% das pessoas, adultos mais do que crianças, têm complicações de sangramento resultantes de uma amigdalectomia.
  4. O sangramento geralmente ocorre dentro das 24 horas após a cirurgia, ou depois de cerca de 7 dias.

As pessoas que têm sangramento depois de uma amigdalectomia devem ir a um hospital. Às vezes se realiza uma amigdalectomia parcial em pacientes com amigdalite que causa alguma obstrução na garganta. Parte da amígdala aumentada pode ser removida por raspagem usando tesouras especiais, ou usando outros dispositivos como laser, radiofrequência ou eletrocauterização. Direitos autorais © 2023 Merck & Co., Inc., Rahway, NJ, EUA e suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

O que ativa a amigdalite?

Amigdalite viral X bacteriana – Estima-se que 75% dos casos trata-se de amigdalite viral, sendo os agentes causadores mais comuns: rinovírus, coronavírus, adenovírus, herpes simples, influenza e parainfluenza, entre outros.Nos casos virais, apenas o tratamento com analgésicos e antitérmicos já são suficientes.Os 25% restantes ficam por conta das amigdalites bacterianas que são causadas por diversas bactérias sendo a principal o Streptococcus pyogenes (estreptococo beta-hemolítico do grupo A) que é responsável por cerca de 20 a 30% destes casos em crianças em idade escolar e adolescentes.Nestes casos o uso de antibióticos é indispensável.

É aconselhável retirar as amígdalas?

Cirurgia para a retirada das amígdalas e consequências, conheça o que mito e verdade. – Posted: 25-10-2019 | Updated: 22-02-2022 Em um mundo cada vez mais conectado, somos bombardeados com milhares de informações sobre o que faz bem ou mal para nossa saúde.

Quando o assunto é a cirurgia para retirar as amígdalas, muitas dúvidas podem surgir. Afinal, esse procedimento faz mal para nossa saúde? Não existe um consenso médico sobre o assunto e cada caso precisa ser avaliado. Nós da Metlife nos empenhamos para que sua vida seja sempre melhor, em todos os sentidos.

Por isso, para aprimorar seus conhecimentos, você vai conhecer os mitos e verdades sobre a cirurgia para a retirada das amígdalas, que fazem parte do sistema de defesa do organismo e da mucosa respiratória. O que são as amígdalas e qual a sua função? As amígdalas são aglomerados de tecido que pertencem ao nosso sistema de defesa impedindo diversos tipos de infecções da mucosa respiratória e do aparelho digestivo.

See also:  Acertando Doze Pontos Na LotofCil Quanto Ganha?

Elas estão localizadas em ambos os lados da garganta e possuem o formato oval. As amígdalas fazem parte do sistema imunológico local e se interagem com elementos agressores na produção e armazenamento de anticorpos. É perigoso para a saúde operar as amígdalas? Não. Embora as amígdalas desempenhem importante papel no sistema respiratório da garganta, elas não são essenciais, pois não são as únicas estruturas responsáveis pela imunidade da região.

Na verdade, toda a mucosa também pode exercer a mesma função. As amígdalas apenas podem exercer suas funções de defesa do sistema respiratório se suas estruturas estiverem preservadas. Se o órgão sofreu infecções ou algum dano que o está impedindo de exercer suas funções normais, ele pode ser extraído sem nenhum tipo de prejuízo à saúde.

  1. Segundo os médicos, não há evidências de que as amígdalas são importantes após os 3 anos de idade.
  2. Minhas amígdalas nunca tiveram nada.
  3. Posso retirá-las assim mesmo? Ainda não existe um consenso médico sobre a retirada das amígdalas que estão saudáveis.
  4. Alguns otorrinolaringologistas só indicam a operação se o órgão tiver infecções constantes ou não estiver exercendo as suas funções corretamente.

No caso de amígdalas saudáveis, o recomendado é não extraí-las sem motivo, pois a cirurgia é invasiva e, como todo procedimento invasivo, pode trazer riscos. Já outros especialistas recomendam a extração das amígdalas mesmo se elas estiverem saudáveis, pois esse órgão não é essencial para o corpo e para evitar infecções futuras, além de possíveis complicações de saúde.

Cada caso deve ser analisado individualmente. Crianças podem fazer a retiradas das amígdalas? Sim. Geralmente em crianças, as amígdalas podem adquirir um tamanho muito grande, o que pode levar à obstrução da faringe e parte da laringe, principalmente durante o sono. Isso causa roncos com paradas respiratórias que podem trazer sérios problemas de saúde no futuro.

Os principais problemas causados em crianças que têm as amígdalas aumentadas são: sobrecarga cardiopulmonar, sonolência diurna, diminuição do rendimento escolar e baixo desenvolvimento estatural. Nesse caso, o indicado é fazer a extração das amígdalas o mais rápido possível.

  • Antes de qualquer decisão, é fundamental que você faça uma avaliação médica sobre o seu caso.
  • Somente um especialista é quem pode decidir se a cirurgia da retirada das amígdalas é indicada ou não.
  • A Metlife sempre pensa no seu bem-estar e tranquilidade, em todos os aspectos.
  • Oferecemos diversos tipos de seguros vida para que você e sua família fiquem resguardados de quaisquer eventualidades.

Nossa equipe está sempre pronta para oferecer uma solução que mais se adequa às suas necessidades.

O que pode causar infecção bacteriana na garganta?

Recursos do assunto As infecções de garganta e/ou das amígdalas são comuns, particularmente em crianças.

Em geral, as infecções de garganta são causadas por um vírus, mas podem ser causadas por uma bactéria, como a bactéria estreptocócica. Os sintomas incluem dor intensa com inflamação e amígdalas vermelhas e inchadas. O diagnóstico é baseado em um exame da garganta. Se não for tratada, a amigdalofaringite causada por bactérias pode se transformar num abscesso. A dor é aliviada por analgésicos e uma infecção estreptocócica é tratada com antibióticos. Por vezes, é necessário extrair cirurgicamente as amígdalas.

As pessoas que têm suas amígdalas removidas ainda podem ter infecções de garganta. Pessoas com infecções de garganta sentem dor intensa ao engolir e, geralmente, ao falar. Por vezes, também se sente dor nos ouvidos. Algumas pessoas apresentam febre, cefaleia e náuseas.

  • As amígdalas ficam vermelhas e inchadas e, por vezes, têm manchas brancas.
  • Os linfonodos do pescoço podem ficar inchados e sensíveis.
  • Nas pessoas que têm infecções frequentes das amígdalas, os pequenos orifícios normais das amígdalas, por vezes, ficam cheios de secreções esbranquiçadas e endurecidas que parecem pequenas pedras.

Estas pedras podem reter bactérias causadoras de odor, provocando mau hálito crônico e podem predispor as pessoas a subsequentes acessos de amigdalite.

Avaliação médica Algumas vezes exames para verificar se há faringite estreptocócica

Os médicos reconhecem uma infecção de garganta através do exame visual da garganta. Entretanto, uma vez que as infecções virais e bacterianas geralmente produzem a mesma aparência na garganta, é difícil para os médicos saber se a causa é viral ou bacteriana somente olhando a garganta. No entanto, pessoas com nariz escorrendo e tosse provavelmente têm uma infecção viral.

Analgésicos Para faringite estreptocócica, antibióticos Algumas vezes, remoção cirúrgica das amígdalas

Analgésicos por via oral, como paracetamol, ou anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), frequentemente ajudam a reduzir a dor em pessoas com infecção de garganta. Gargarejos de água morna e sal são frequentemente recomendados, mas não parecem ajudar.

Alguns médicos também dão uma dose simples de um corticosteroide, dexametasona, especialmente se os sintomas forem graves; a dexametasona pode abreviar a duração dos sintomas. Também pode ajudar a diminuir o bloqueio das vias aéreas causado pela mononucleose. Pessoas com infecção estreptocócica recebem antibióticos, normalmente penicilina ou amoxicilina.

As pessoas alérgicas à penicilina devem tomar clindamicina. As pessoas que têm infecções estreptocócicas recorrentes nas amígdalas podem precisar removê-las (amigdalectomia), de acordo com as orientações sugeridas. Normalmente, são as crianças que precisam de amigdalectomia, inclusive as que tenham tido mais de seis infecções em um ano, mais de quatro infecções por ano em dois anos ou mais de três infecções por ano em três anos.

Os médicos consideram a amigdalectomia se a criança tiver uma infecção aguda que seja grave e persistente apesar de ser tratada com antibióticos, se a criança tiver obstrução significativa (incluindo distúrbio obstrutivo do sono) ou um abscesso periamigdaliano recorrente ou se suspeitarem de câncer.

Para adultos, os médicos não usam esses critérios específicos para quando realizar a amigdalectomia. No entanto, os médicos podem fazer amigdalectomia em adultos que tenham halitose grave devido às pedras nas amígdalas. Tanto para crianças como para adultos, os médicos permitem diferenças individuais quando decidem se devem ou não recomendar uma amigdalectomia.

  1. Há numerosas técnicas eficazes para amigdalectomia.
  2. Os médicos podem usar um bisturi ou um equipamento de eletrocautério, ou podem destruir as amígdalas usando ondas de rádio.
  3. Menos de 2% das pessoas, adultos mais do que crianças, têm complicações de sangramento resultantes de uma amigdalectomia.
  4. O sangramento geralmente ocorre dentro das 24 horas após a cirurgia, ou depois de cerca de 7 dias.

As pessoas que têm sangramento depois de uma amigdalectomia devem ir a um hospital. Às vezes se realiza uma amigdalectomia parcial em pacientes com amigdalite que causa alguma obstrução na garganta. Parte da amígdala aumentada pode ser removida por raspagem usando tesouras especiais, ou usando outros dispositivos como laser, radiofrequência ou eletrocauterização. Direitos autorais © 2023 Merck & Co., Inc., Rahway, NJ, EUA e suas afiliadas. Todos os direitos reservados.