Especias Mixtli

Consejos | Trucos | Comentarios

Dengue HemorrGica Sai Sangue Por Onde?

Onde sai o sangue da dengue hemorrágica?

1) Dengue clássica –

  • a) Nos adultos
  • A primeira manifestação é a, geralmente alta (39°C a 40°C), de início abrupto, associada à dor de cabeça, prostração, dores musculares, nas juntas, atrás dos olhos e exantema (vermelhidão no corpo), que pode ser acompanhado de prurido.
  • Num período de três a sete dias, a temperatura começa a cair e os sintomas geralmente regridem, mas pode persistir um quadro de astenia durante algumas semanas.
  • b) Nas crianças

Geralmente se inicia com febre alta acompanhada de sintomas inespecíficos: apatia, sonolência, recusa da alimentação, vômitos e diarréia. O exantema pode estar presente ou não. Nos menores de dois anos, as dores podem manifestar-se por choro intermitente, irritabilidade, apatia e recusa de líquidos, o que pode agravar a,

  • Nota: É exatamente no final do período febril que eventualmente surgem manifestações hemorrágicas: sangramento nasal, gengival, vaginal, rompimento dos vasos superficiais da pele (petéquias e hematomas), além de outros.
  • Em casos mais raros, podem ocorrer sangramentos profusos no aparelho digestivo e nas vias urinárias.

Nas crianças, também as formas graves se manifestam depois do terceiro dia, quando a febre começa a ceder. Nos menores de 5 anos, o início da doença pode ser frustro, passar despercebido, e o quadro grave instalar-se como primeira manifestação reconhecível.

Como saber se é dengue hemorrágica ou normal?

Os sintomas da dengue hemorrágica no início da doença são os mesmos da dengue comum. A diferença ocorre, com maior frequência, quando acaba a febre e começam a surgir os sinais de alarme: Dores abdominais fortes e contínuas.

Qual a chance de sobreviver à dengue hemorrágica?

De acordo com as estatísticas, a chance de morte no caso da primeira manifestação da dengue clássica é zero. Na dengue hemorrágica, a taxa é de aproximadamente 3%.

Quando internar paciente com dengue?

Ao surgirem sinais de alarme ou aumento do hematócrito na vigência de hidratação adequada, é indicada a internação hospitalar. Pacientes com plaquetopenia

Qual o valor das plaquetas de uma pessoa com dengue?

Saúde alerta para sintomas e tratamento da dengue Pacientes que apresentam a combinação de sintomas como febre, dor de cabeça e dores no corpo são tratados como casos de suspeita de dengue. A Secretaria Municipal da Saúde (SMS), através das 43 Unidades de Saúde da Família, está capacitada para identificar e tratar, de forma precoce, os pacientes com suspeita da doença, inclusive disponibilizando a realização imediata do exame de sangue para os casos suspeitos, auxiliando no diagnóstico e tratamento da doença.

A Unidade de Resposta Rápida da Secretaria entrega, à noite, o resultado e avalia o paciente em sua residência, observando a necessidade ou não do internamento. De acordo com as diretrizes do manual do Programa de Controle da Dengue do Ministério da Saúde, as manifestações hemorrágicas na dengue são causadas pela fragilidade das paredes dos vasos, pela queda de plaquetas e pelo consumo demasiado de fatores de coagulação.

Apenas plaquetas baixas não determinam que a pessoa esteja com dengue. Várias doenças podem levar à queda de plaquetas como, por exemplo, gripe ou infecção por bactérias. A hidratação precoce e adequada é um fator determinante para a prevenção das hemorragias.

  1. Uma pessoa que apresenta plaquetas a 100.000/mm 3, tem febre, dor de cabeça e dor no corpo, mas que não apresenta sangramentos, será tratada como caso suspeito, não sendo necessária internação.
  2. Nestes casos, a orientação médica é que o paciente faça a hidratação caseira, igerindo muita água, sucos e até mesmo utilizando o soro caseiro.

Ao persistirem os sintomas, o paciente deve retornar à Unidade dentro do período máximo de 24 a 48 horas, para reavaliação e, sendo detectados sinais de alarme, como vômito persistente depois que a febre cessa, tontura e dores abdominais, deve imediatamente procurar as Unidades de Pronto Atendimento.

  1. Plaquetas Ainda segundo o Ministério da Saúde, todos os casos de suspeita de dengue com sangramento são indicados à internação para observação do paciente e posterior reavaliação.
  2. A transfusão de plaquetas fica a critério do médico assistente, mas poderá ser indicado nos casos com suspeita de sangramento no sistema nervoso central (hemorragia cerebral) e em casos de plaquetas 20.000/mm 3, na presença de sangramentos visíveis.

«É importante salientar que a transfusão de plaquetas é indicada para bloquear o sangramento e não para aumentar a contagem sanguínea de plaquetas, pois estas sofrem destruição em curto prazo. Portanto, não se recomenda contagem de plaquetas após transfusão sanguínea», explica Fabrizia Tavares, infectologista da Vigilância Epidemiológica.

  1. Combate «O trabalho continua sendo realizado pela Secretaria, através do Programa Municipal de Combate à Dengue, com ações da força-tarefa, de segunda a sábado, das 8 às 17, horas.
  2. Após a divulgação dos dados do último Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti, o (LIRAa), ficou constatado que o grande problema está dentro das residências.

E as pessoas precisam se conscientizar que são elas as agentes mais poderosos nesse combate», alerta o secretário Silvio Santos. Ainda de acordo com o último LIRAa, não foram encontrados focos em terrenos baldios. As lavanderias continuam sendo as grandes vilãs: 56,6% dos criadouros foram encontrados nesses reservatórios.

  1. Em segundo lugar, estão os depósitos domiciliares, como vasos e pratos de plantas, ralos e lajes (30,5%).
  2. Ainda foram encontrados focos em capacetes de moto, caixas de isopor e plásticos que cobrem entulhos.
  3. Para o Ministério da Saúde, o trabalho de combate à dengue realizado pela Prefeitura de Aracaju é referência para o país, tanto na prevenção quanto no tratamento.

Denúncias Em casos de suspeita de dengue, para notificação de casos ou limpeza de terrenos baldios, a população pode ligar para o telefone 3179-1000 ou 156. As ações contra a doença continuam de forma intensificada em toda a cidade. : Saúde alerta para sintomas e tratamento da dengue

Qual dia mais crítico da dengue?

Dengue Info A dengue é a arbovirose urbana mais prevalente nas Américas, principalmente no Brasil. É uma doença febril que tem se mostrado de grande importância em saúde pública nos últimos anos. O vírus dengue (DENV) é um arbovírus transmitido pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti e possui quatro sorotipos diferentes ( DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4 ).

O período do ano com maior transmissão da doença ocorre nos meses mais chuvosos de cada região, geralmente de novembro a maio. O acúmulo de água parada contribui para a proliferação do mosquito e, consequentemente, maior disseminação da doença. É importante evitar água parada, todos os dias, porque os ovos do mosquito podem sobreviver por um ano no ambiente.

See also:  De Onde Vem O Sangue Da MenstruaO?

Todas as faixas etárias são igualmente suscetíveis à doença, porém as pessoas mais velhas e aquelas que possuem doenças crônicas, como diabetes e hipertensão arterial, têm maior risco de evoluir para casos graves e outras complicações que podem levar à morte.

Febre alta > 38°C;Dor no corpo e articulações;Dor atrás dos olhos;Mal estar;Falta de apetite;Dor de cabeça;Manchas vermelhas no corpo.

No entanto, a infecção por dengue pode ser assintomática (sem sintomas), apresentar quadro leve, sinais de alarme e de gravidade. Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta (>38°C), de início abrupto, que geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, além de prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, e manchas vermelhas na pele.Também podem acontecer erupções e coceira na pele. Os sinais de alarme são assim chamados por sinalizarem o extravasamento de plasma e/ou hemorragias que podem levar o paciente a choque grave e óbito. A forma grave da doença inclui dor abdominal intensa e contínua, náuseas, vômitos persistentes e sangramento de mucosas. Os sinais de alarme são caracterizados principalmente por:

Dor abdominal intensa (referida ou à palpação) e contínua;Vômitos persistentes;Acúmulo de líquidos (ascite, derrame pleural, derrame pericárdico);Hipotensão postural e/ou lipotímia;Letargia e/ou irritabilidade;Hepatomegalia maior do que 2cm abaixo do rebordo costal;Sangramento de mucosa;Aumento progressivo do hematócrito.

A fase crítica tem início com o declínio da febre (período de defervescência), entre o 3° e o 7° dia do início de sintomas. Os sinais de alarme, quando presentes, ocorrem nessa fase. A maioria deles é resultante do aumento da permeabilidade capilar. Essa condição marca o início da piora clínica do paciente e sua possível evolução para o choque, por extravasamento plasmático.

  1. Sem a identificação e o correto manejo nessa fase, alguns pacientes podem evoluir para as formas graves.
  2. Os casos graves de dengue são caracterizados por sangramento, disfunções de órgãos ou extravasamento de plasma.
  3. O choque ocorre quando um volume crítico de plasma é perdido pelo extravasamento.
  4. Ocorre habitualmente entre o 4º e o 5º dia – no intervalo de 3 a 7 dias de doença –, sendo geralmente precedido por sinais de alarme.

Mulheres grávidas, crianças e pessoas mais velhas (acima de 60 anos) têm maiores riscos de desenvolver complicações pela doença. Os riscos aumentam quando o indivíduo tem alguma doença crônica, como asma brônquica, diabetes mellitus, anemia falciforme, hipertensão, além de infecções prévias por outros sorotipos.

Fique atento aos sinais e sintomas da dengue! Ao apresentar os sintomas, é importante procurar um serviço de saúde para diagnóstico e tratamento adequados, todos oferecidos de forma integral e gratuita por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). O vírus da dengue (DENV) pode ser transmitido ao homem principalmente por via vetorial, pela picada de fêmeas de Aedes aegypti infectadas, no ciclo urbano humano–vetor–humano.

Os relatos de transmissão por via vertical (de mãe para filho durante a gestação) e transfusional são raros. Para o diagnóstico laboratorial da infecção aguda pelo DENV, podem ser realizados os exames descritos a seguir: Exames específicos. Métodos diretos

Pesquisa de vírus (isolamento viral por inoculação em células);Pesquisa de genoma do vírus da dengue por transcrição reversa seguida de reação em cadeia da polimerase (RT-PCR).

Métodos indiretos

Pesquisa de anticorpos IgM por testes sorológicos (ensaio imunoenzimático – ELISA);Teste de neutralização por redução de placas (PRNT);Inibição da hemaglutinação (IH);Pesquisa de antígeno NS1 (ensaio imunoenzimático – ELISA);Patologia: estudo anatomopatológico seguido de pesquisa de antígenos virais por imuno-histoquímica (IHQ).

Exames inespecíficos: O hematócrito, a contagem de plaquetas e a dosagem de albumina auxiliam na avaliação e no monitoramento dos pacientes com suspeita ou diagnóstico confirmado de dengue, especialmente os que apresentarem sinais de alarme ou gravidade.

Embora existam estudos avançados para vacinas contra a dengue, atualmente nenhuma vacina mostrou-se viável para a prevenção da doença. Portanto, o controle do vetor Aedes aegypti é o principal método para a prevenção e controle para a dengue e outras arboviroses urbanas (como chikungunya e Zika), seja pelo manejo integrado de vetores ou pela prevenção pessoal dentro dos domicílios.

Deve-se reduzir a infestação de mosquitos por meio da eliminação de criadouros, sempre que possível, ou manter os reservatórios e qualquer local que possa acumular água totalmente cobertos com telas/capas/tampas, impedindo a postura de ovos do mosquito Aedes aegypti,

Proteger as áreas do corpo que o mosquito possa picar, com o uso de calças e camisas de mangas compridas;Usar repelentes à base de DEET (N-N-dietilmetatoluamida), IR3535 ou de Icaridina nas partes expostas do corpo. Também pode ser aplicado sobre as roupas. O uso deve seguir as indicações do fabricante em relação à faixa etária e à frequência de aplicação. Deve ser observada a existência de registro em órgão competente. Repelentes de insetos contendo DEET, IR3535 ou Icaridina são seguros para uso durante a gravidez, quando usados de acordo com as instruções do fabricante. Em crianças menores de 2 anos de idade, não é recomendado o uso de repelente sem orientação médica. Para crianças entre 2 e 12 anos, usar concentrações até 10% de DEET, no máximo 3 vezes ao dia;A utilização de mosquiteiros sobre a cama, uso de telas em portas e janelas e, quando disponível, ar-condicionado.

O tratamento para infecção pelo vírus dengue é baseado principalmente na reposição volêmica adequada, levando-se em consideração o estadiamento da doença (grupos A, B, C e D) segundo os sinais e sintomas apresentados pelo paciente, assim como no reconhecimento precoce dos sinais de alarme. Para os casos leves com quadro sintomático recomenda-se:

Repouso relativo, enquanto durar a febre;Estímulo à ingestão de líquidos;Administração de paracetamol ou dipirona em caso de dor ou febre;Não administração de ácido acetilsalicílico;Recomendação ao paciente para que retorne imediatamente ao serviço de saúde, em caso de sinais de alarme.

Os pacientes que apresentam sinais de alarme ou quadros graves da doença requerem internação para o manejo clínico adequado. Ainda não existe tratamento específico para a doença, A dengue, na maioria dos casos leves, tem cura espontânea depois de 10 dias.

  1. É importante ficar atento aos sinais e sintomas da doença, principalmente aqueles que demonstram agravamento do quadro, e procurar assistência na unidade de saúde mais próxima.
  2. O indivíduo pode ter dengue até quatro vezes ao longo de sua vida.
  3. Isso ocorre porque pode ser infectado com aos quatro diferentes sorotipos do vírus.

Uma vez exposto a um determinado sorotipo, após a remissão da doença, o indivíduo para a ter imunidade para aquele sorotipo específico, ficando ainda susceptível aos demais. : Dengue

See also:  Como Fingir Que Est Doente?

Quando a dengue hemorrágica pode matar?

Também conhecida como dengue grave, a dengue hemorrágica é uma versão da doença que, em pouco mais de 24 horas, pode até levar à morte.

Quando a dengue pode levar à morte?

Dengue hemorrágica e a morte – A se dá a partir da segunda infecção sequencial, pois o novo anticorpo reage com outros anticorpos do vírus anterior. Isso desencadeia o choque hipovolêmico (queda da pressão arterial, pele fria, tonteira, diminuição das plaquetas e aumento do número de hematócritos).

A multiplicação do vírus provoca inflamação nos vasos sanguíneos fazendo com que o sangue circule mais lentamente, o que pode tornar o sangue mais espesso e provocar a queda de pressão. O sangue espesso pode coagular dentro dos vasos, causando trombos. A circulação lenta também prejudica a oxigenação e o funcionamento dos órgãos.

Caso não haja tratamento adequado o sangue irá parar de circular, os órgãos não funcionarão e consequentemente ocorrerá a morte do paciente. : Por que as pessoas morrem de dengue?

Quantos dias a pessoa fica com dengue hemorrágica?

Os adultos podem apresentar pequenas manifestações hemorrágicas, como petéquias, epistaxe, gengivorragia, sangramento gastrointestinal, hematúria e metrorragia. A doença tem uma duração de 5 a 7 dias. Com o desaparecimento da febre, há regressão dos sinais e sintomas, podendo ainda persistir a fadiga.

Como não evoluir para dengue hemorrágica?

Deve-se evitar anti-inflamatórios não esteroides, como ibuprofeno e aspirina, já que eles afinam o sangue e aumentam o risco de hemorragias. O Instituto Butantan está desenvolvendo uma vacina tetravalente contra a dengue, que deve ser capaz de proteger contra os quatro subtipos da doença.

Quantos dias para se recuperar da dengue hemorrágica?

Quanto tempo a pessoa fica com o vírus da dengue? Os sintomas duram em média sete dias, dependendo do estado de saúde do paciente antes de adoecer. Em geral, adultos saudáveis costumam se recuperar da doença em apenas três dias.

Quantas plaquetas para dengue hemorrágica?

Indivíduos normais apresentam uma contagem entre 150.000 e 400.000 plaquetas. Na dengue hemorrágica esse número cai para menos de 100.000, às vezes menos que 10.000 (trombocitopenia grave). Devido à queda das plaquetas e à inflamação dos vasos, os pacientes apresentam tendência a sangramentos.

O que fazer para aumentar as plaquetas em caso de dengue?

Alimentos que pacientes com suspeita de Dengue devem evitar – ASBRAN O Brasil enfrenta este ano uma das maiores batalhas contra a Dengue que se alastra em vários municípios e estados. Minas Gerais é o mais atingido pela doença. Dados da Secretaria da Saúde do Estado, divulgados dia 4, aponta 165.845 casos notificados, muito acima do registrado em todo o ano de 2012 (46.681).

Também foram registrados 37 óbitos.A ASBRAN, engajada nas campanhas de orientação ao cidadão, traz algumas informações importantes para o paciente com suspeita de Dengue no aspecto nutricional.Segundo a Profª e Drª Nelzir Reis, alimentos que contêm salicilatos e os de ação antitrombótica devem ser evitados em caso de suspeita da doença.

Portanto, evite consumir ABRICÓ, AMEIXA FRESCA, AMÊNDOA, AMORA, BATATA, CEREJA, GROSELHA, LIMÃO, MAÇÃ, MELÃO, MORANGO, NECTARINA, NOZES, PASSA, PEPINO, PÊSSEGO, PIMENTA, TANGERINA, TOMATE e UVA.Os alimentos que têm ação antitrombótica são: ALHO, CEBOLA, GENGIBRE.A nutricionista ainda detalha sobre os derivados salicílicos, que diminuem a biodisponibilidade da vitamina C, os níveis séricos de folato – ferro e potássio e as proteínas plasmáticas.

  • Ao mesmo tempo aumentam a excreção urinária das vitaminas B1, B6 e K.
  • Podem provocar alterações gástricas, hipotensão, alergia, distúrbio do equilíbrio ácido-básico e fenômenos hemorrágicos que poderão gerar anemia.Já o Paracetamol interfere na absorção das vitaminas B1 – B6 – K e folacina.
  • Dietas hiperglicídicas e contendo alto teor de pectina retardam sua absorção.

Pode provocar alterações hepáticas», explica.Ela ainda reforça a necessidade da hidratação que, nos casos de dengue, é fundamental. «A recomendação é ingerir, em média, 60 a 80 ml de líquido por quilo de peso dia. Assim, para uma pessoa de 60kg o volume ingerido deve variar de 3,6 litros a 4,8 litros dia, nos primeiros cinco dias.

A administração deve ser fracionada em pequenos volumes de forma a evitar náuseas e vômitos», afirma Nelzir.Podem ser utilizados também sucos, água de coco, soluções isotônicas (Gatorade, Pedialyte, Sportdrink, Sport Fluide, Sport Ade), além do soro de hidratação oral. Caso não consiga ingerir volume adequado devido à presença de náuseas e vômitos, procure um Serviço de Emergência para hidratação venosa.

COMO SE ALIMENTAR Febre alta (39° a 40°C), dores de cabeça, cansaço, dor muscular e nas articulações, indisposição, enjôos, vômitos, manchas vermelhas na pele, dor abdominal (principalmente em crianças). Para quem está com alguns destes sintomas, vai o alerta: pode ser mesmo dengue, e agora?A ordem é sempre repouso e a ingestão de muito líquido, além de medicamentos anti-térmicos.

  • Mas e como fica a parte nutricional? Alguma dieta especial ajuda? Sim.
  • Tenha em mente que um organismo bem nutrido vai reagir melhor à doença.Nutricionistas da ASBRAN recomendam durante o período mais crítico uma dieta leve e de fácil digestão e absorção.
  • É importante consumir hortaliças em geral e alimentos ricos em ferro (carne vermelha magra, por exemplo), frutas e sucos ricos em vitamina C.

O ferro é fundamental porque pacientes com dengue apresentam queda substancial no número de plaquetas.Não esqueça também dos alimentos ricos em proteínas como ovos, leite e derivados, pois a imunidade será comprometida. Boa parte das pessoas apresenta um quadro de náuseas dificultando a alimentação, mas é importante o estímulo na ingestão de pequenas porções de alimentos a cada duas horas.

Para ajudar, pode-se ainda ingerir complementos enriquecidos com vitaminas e minerais. AVANÇO DA DENGUE Depois de Minas Gerais, o Estado de Mato Grosso do Sul já está em grande alerta. A taxa de incidência da doença no Estado é de 3.133,6 notificações por grupo de 100 mil habitantes. Mais de 3% dos 2,4 milhões de habitantes do Estado notificaram suspeita de dengue nos primeiros meses de 2013.Mas a epidemia vivida em muitas localidades não se restringe ao Brasil.

A Organização Mundial de Saúde – OMS alerta que o número de pessoasinfectadas com a dengue no mundo pode ser quatro vezes maior, como aponta uma nova pesquisa. A OMS estimou que o número de casos de dengue ficaria entre 50 milhões e 100 milhões a cada ano.

Depois do novo estudo acredita-se que o número pode chegar em torno de 390 milhões – embora cerca de dois terços destas pessoas tenham apenas sintomas leves e não precisem de atendimento médico. O estudo foi publicado na internet na revista Nature no domingo. Os dados não devem mudar como os pacientes são tratados, mas pode levar a uma busca mais rápida por uma vacina para a doença.

O estudo foi financiado pela Wellcome Trust, pelo Departamento de Segurança Interna dos EUA e outras instituições. : Alimentos que pacientes com suspeita de Dengue devem evitar – ASBRAN

See also:  Como Esquecer O Ex Que J Está Com Outra?

Quando a dengue fica hemorrágica?

Após os sintomas iniciais, é comum que a dengue hemorrágica apareça entre o quarto e quinto dia da infecção. Em seguida, é comum que o problema se instale rapidamente pelo corpo, provocando choque e extravasamento plasmático, ou seja, aumentam os riscos de hemorragias em cerca de 48 h.

O que acontece com as plaquetas na dengue?

Saúde alerta para sintomas e tratamento da dengue Pacientes que apresentam a combinação de sintomas como febre, dor de cabeça e dores no corpo são tratados como casos de suspeita de dengue. A Secretaria Municipal da Saúde (SMS), através das 43 Unidades de Saúde da Família, está capacitada para identificar e tratar, de forma precoce, os pacientes com suspeita da doença, inclusive disponibilizando a realização imediata do exame de sangue para os casos suspeitos, auxiliando no diagnóstico e tratamento da doença.

A Unidade de Resposta Rápida da Secretaria entrega, à noite, o resultado e avalia o paciente em sua residência, observando a necessidade ou não do internamento. De acordo com as diretrizes do manual do Programa de Controle da Dengue do Ministério da Saúde, as manifestações hemorrágicas na dengue são causadas pela fragilidade das paredes dos vasos, pela queda de plaquetas e pelo consumo demasiado de fatores de coagulação.

Apenas plaquetas baixas não determinam que a pessoa esteja com dengue. Várias doenças podem levar à queda de plaquetas como, por exemplo, gripe ou infecção por bactérias. A hidratação precoce e adequada é um fator determinante para a prevenção das hemorragias.

Uma pessoa que apresenta plaquetas a 100.000/mm 3, tem febre, dor de cabeça e dor no corpo, mas que não apresenta sangramentos, será tratada como caso suspeito, não sendo necessária internação. Nestes casos, a orientação médica é que o paciente faça a hidratação caseira, igerindo muita água, sucos e até mesmo utilizando o soro caseiro.

Ao persistirem os sintomas, o paciente deve retornar à Unidade dentro do período máximo de 24 a 48 horas, para reavaliação e, sendo detectados sinais de alarme, como vômito persistente depois que a febre cessa, tontura e dores abdominais, deve imediatamente procurar as Unidades de Pronto Atendimento.

Plaquetas Ainda segundo o Ministério da Saúde, todos os casos de suspeita de dengue com sangramento são indicados à internação para observação do paciente e posterior reavaliação. A transfusão de plaquetas fica a critério do médico assistente, mas poderá ser indicado nos casos com suspeita de sangramento no sistema nervoso central (hemorragia cerebral) e em casos de plaquetas 20.000/mm 3, na presença de sangramentos visíveis.

«É importante salientar que a transfusão de plaquetas é indicada para bloquear o sangramento e não para aumentar a contagem sanguínea de plaquetas, pois estas sofrem destruição em curto prazo. Portanto, não se recomenda contagem de plaquetas após transfusão sanguínea», explica Fabrizia Tavares, infectologista da Vigilância Epidemiológica.

  1. Combate «O trabalho continua sendo realizado pela Secretaria, através do Programa Municipal de Combate à Dengue, com ações da força-tarefa, de segunda a sábado, das 8 às 17, horas.
  2. Após a divulgação dos dados do último Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti, o (LIRAa), ficou constatado que o grande problema está dentro das residências.

E as pessoas precisam se conscientizar que são elas as agentes mais poderosos nesse combate», alerta o secretário Silvio Santos. Ainda de acordo com o último LIRAa, não foram encontrados focos em terrenos baldios. As lavanderias continuam sendo as grandes vilãs: 56,6% dos criadouros foram encontrados nesses reservatórios.

  • Em segundo lugar, estão os depósitos domiciliares, como vasos e pratos de plantas, ralos e lajes (30,5%).
  • Ainda foram encontrados focos em capacetes de moto, caixas de isopor e plásticos que cobrem entulhos.
  • Para o Ministério da Saúde, o trabalho de combate à dengue realizado pela Prefeitura de Aracaju é referência para o país, tanto na prevenção quanto no tratamento.

Denúncias Em casos de suspeita de dengue, para notificação de casos ou limpeza de terrenos baldios, a população pode ligar para o telefone 3179-1000 ou 156. As ações contra a doença continuam de forma intensificada em toda a cidade. : Saúde alerta para sintomas e tratamento da dengue

O que acontece com o corpo quando as plaquetas estão baixas?

O sangue normalmente tem um certo número de plaquetas em uma amostra. Esse número é a contagem de plaquetas.

Com uma baixa contagem de plaquetas, sangra-se com facilidade Podem surgir minúsculas manchas roxas na pele, bem como hemorragias nasais e sangramento das gengivas Uma contagem de plaquetas muito baixa pode causar sangramento no cérebro ou sangramento grave dos intestinos Uma baixa contagem de plaquetas pode ter muitas causas Os médicos podem fazer exames para investigar a causa Os médicos tratam a causa da baixa contagem de plaquetas e podem prescrever uma transfusão de plaquetas

Há muitas causas para uma baixa contagem de plaquetas:

Medicamentos: heparina, certos antibióticos, medicamentos anticâncer

O principal sintoma de uma baixa contagem de plaquetas é a hemorragia excessiva. É possível que tenha:

Pequenos pontos vermelhos na pele ou no interior da boca Hematomas após lesões muito pequenas Sangramento das gengivas Menstruações intensas

Quanto menor a contagem de plaquetas, maior a propensão a sangrar. As pessoas que têm muito poucas plaquetas podem ter sangramento intestinal intenso ou apresentar hemorragia cerebral de risco à vida. Às vezes, o problema que causou a baixa contagem de plaquetas é óbvio, como estar grávida, ter uma infecção grave ou usar determinado medicamento.

Exames de sangue Biópsia da medula óssea (coleta de uma amostra de medula óssea para exame ao microscópio)

O principal é tratar o problema que causou a baixa contagem de plaquetas. Por exemplo, se tomar um medicamento causou a baixa contagem de plaquetas, o médico deixará de administrar o medicamento, se possível. Se ela tiver sido causada por uma infecção, o médico irá tratar a infecção. Raramente, os médicos prescrevem:

Transfusão de plaquetas Medicamentos para ajudar o sangue a coagular melhor

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE Direitos autorais © 2023 Merck & Co., Inc., Rahway, NJ, EUA e suas afiliadas. Todos os direitos reservados.