Especias Mixtli

Consejos | Trucos | Comentarios

De Onde Vem O Dinheiro Da Lei Rouanet?

Quem libera o dinheiro da Lei Rouanet?

O Ministério da Cultura (MinC) vai liberar quase R$ 1 bilhão em recursos já captados por meio da Lei de Incentivo à Cultura, conhecida como Lei Rouanet, até o final de janeiro, condicionados à regularidade de cada proponente.

Quem acabou com a Lei Rouanet?

Mudanças na Lei rouanet durante o governo Bolsonaro – Diferente do que muitos pensam, durante o governo do ex-presidente, Jair Bolsonaro, que durou de 2019 até 2022, a Lei rouanet não acabou. Entretanto, o então presidente, aprovou algumas alterações na mesma. Essas alterações tiveram tanto elogios, como críticas, por diferentes parte da sociedade. De Onde Vem O Dinheiro Da Lei Rouanet Aqui, não temos objetivo de apresentá-las, portanto, você confere apenas quais foram as alterações a seguir:

Como ganhar dinheiro na Lei Rouanet?

Resumo – Captar recursos pela Lei Rouanet pode ser um pouco intimidador para quem nunca passou pelo processo de aprovação de proposta do SALIC. Por conta disso, incentivamos que se você quer entender um pouco melhor sobre a plataforma e sobre como apresentar propostas que realize cursos, oficinas e encontros para que, junto com pessoas mais experiente, possa passar pelo processo de maneira produtiva e conquistando a viabilidade financeira do seu projeto.

Quanto Lula deu para os artistas?

No primeiro mês, governo Lula aprovou R$ 610 milhões em projetos para Lei Rouanet.

Onde foi investido o dinheiro da Lei Rouanet?

Lei Rouanet: MinC libera quase R$ 1 bilhão em recursos bloqueados no primeiro mês de gestão O Ministério da Cultura (MinC) vai liberar quase R$ 1 bilhão em recursos já captados por meio da Lei de Incentivo à Cultura, conhecida como Lei Rouanet, até o final de janeiro, condicionados à regularidade de cada proponente.

O montante estava bloqueado desde o início de 2022 por uma decisão política da, então, Secretaria Especial de Cultura, órgão que foi substituído pelo MinC em 2023. O valor do patrocínio captado por 1.946 projetos de diferentes segmentos artísticos é de R$ 968.376.281,00. Já nos primeiros 18 dias de 2023, a ministra Margareth Menezes autorizou a Secretaria de Economia Criativa e Fomento Cultural (SECFC) a liberar cerca de R$ 62 milhões do montante para 353 projetos, que agora podem ser executados ou continuados.

Além disso, o MinC publicou nesta quarta-feira (18), no Diário Oficial da União (DOU), o início da prorrogação de mais de 5 mil projetos inscritos na Lei Rouanet e que estavam com prazos de captação vencidos. Uma nova publicação sairá nesta quinta-feira (19).

Os pedidos de prorrogação foram solicitados em 2022 e não foram atendidos pela gestão passada. Isso significa que parte da produção cultural brasileira que tinha recursos ainda a captar vai poder dar continuidade às ações normalmente. Fim da inoperação A situação encontrada pela gestão da ministra Margareth Menezes foi de inoperância na etapa de gestão das movimentações financeiras da Lei Rouanet.

Ou seja, o dinheiro era investido pelo patrocinador nas contas especiais abertas para execução dos projetos, mas não era liberado para o agente cultural, inviabilizando a realização do projeto planejado. Diante da gravidade desse bloqueio proposital da produção cultural brasileira, a Secretaria de Economia Criativa e Fomento Cultural do MinC vem operando uma verdadeira força-tarefa para que os trâmites legais avancem com celeridade, viabilizando a execução de milhares de projetos artísticos e culturais por todo o país.

  1. O trabalho do MinC na captação O proponente de uma ação cultural que pretende usar os incentivos fiscais permitidos por Lei apresenta uma proposta cultural ao Ministério da Cultura (MinC).
  2. Depois de aprovada, a proposta recebe a autorização para captação de recursos junto a contribuintes de Imposto de Renda (pessoas jurídicas e físicas), que podem destinar uma pequena parte dos seus impostos para ações culturais.

Para serem aprovadas, as propostas devem cumprir as exigências legais, incluindo a democratização de acesso para a sociedade brasileira. Cabe ao MinC a supervisão do todos os projetos, incluindo a tramitação de todos os recursos entre o incentivador e o incentivado.

  1. Os investimentos são depositados pelo patrocinador em conta controlada pelo Ministério (conta captação), exclusivamente do Banco do Brasil.
  2. Após o projeto receber o valor mínimo que viabiliza o início da execução das ações culturais, o MinC verifica as informações referentes ao incentivado, inclusive sua regularidade fiscal, atestando sua adimplência.

Certificadas as condições previstas em lei, o investimento é transferido para outra conta também controlada (Conta Movimento), podendo assim serem iniciadas as produções. Como funciona a Lei Rouanet? Criada em 1991, a principal ferramenta de fomento à Cultura do Brasil, a Lei Rouanet, contribui para que milhares de projetos culturais aconteçam, todos os anos, em todas as regiões do país.

  • Por meio desse mecanismo legal, empresas e pessoas físicas podem patrocinar diversas formas de expressão cultural, podendo abater o valor total ou parcial do apoio do Imposto de Renda.
  • A Lei também contribui para ampliar o acesso do povo à Cultura, já que os projetos patrocinados são obrigados a oferecer ingressos ou produtos culturais gratuitos ou a preços populares, bem como promover ações de formação e capacitação junto às comunidades.

: Lei Rouanet: MinC libera quase R$ 1 bilhão em recursos bloqueados no primeiro mês de gestão

Como funciona o Rouanet?

Como funciona a Lei Rouanet? – A Lei de Incentivo à Cultura, também conhecida como Lei Rouanet, foi publicada em 1991, durante o governo do ex-presidente Fernando Collor, com o objetivo de ajudar o setor cultural a captar recursos para atividades como festivais, exposições e peças de teatro, por exemplo.

A ideia é simples e tem se mostrado eficaz. Por meio de incentivo fiscal, o governo estimula empresas e pessoas físicas a apoiarem o setor cultural. Parte do dinheiro que iria para o Imposto de Renda pode ser usado para patrocinar os eventos que recebem a chancela da Lei Rouanet. Na prática, funciona assim: o produtor cultural apresenta uma proposta de evento ao ministério, para que a pasta o ajude a levá-lo adiante.

Se o projeto cumprir as exigências previstas em lei, o que será avaliado por uma comissão técnica, entra na lista da Lei Rouanet. Isso não significa que o projeto será patrocinado, mas que terá autorização para buscar incentivo da iniciativa privada. A partir dessa inclusão, o produtor terá um ano para conseguir os recursos.

See also:  O Que OxíTona?

A vantagem para quem apoiá-lo é que o valor destinado à ação cultural poderá ser abatido do IR – total ou parcialmente, dependendo do projeto. Empresas poderão deduzir até 4% do imposto devido e pessoas físicas, até 6%. Ou seja, não há repasse direto de dinheiro do governo para o produtor cultural. Os recursos são buscados na iniciativa privada, que apoia o projeto em troca do benefício fiscal.

O incentivo pode ser feito por doação ou por patrocínio, com ou sem publicidade de quem investiu o dinheiro. O investidor deposita o valor em uma conta bancária que é criada pelo Ministério da Cultura especificamente para o projeto e retira um recibo para poder abater o valor do Imposto de Renda.

Quem tem sido o principal agente de fomento à cultura do Brasil?

RESUMO: A Lei de Incentivo à Cultura – mais conhecida pelo nome de seu idealizador, o então secretário nacional de Cultura Sérgio Paulo Rouanet – tornou-se um importante mecanismo de financiamento da Cultura no Brasil.

Como captar recursos para um projeto cultural?

Como captar recursos? – A principal forma de captar recursos para cultura é por meio de leis de incentivo à cultura. No nosso país, legislações desse tipo funcionam com base em renúncia fiscal. Isso significa que quando um projeto é aprovado pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério da Cidadania, o produtor poderá captar recursos junto a apoiadores (pessoas físicas e empresas).

Dessa forma, quem decidir apoiar o projeto terá a oportunidade de abater seu investimento do Imposto de Renda. No Brasil, existem leis de incentivo à cultura em todas as esferas: federal, estadual e municipal. As principais são a Lei Rouanet (federal), Lei do Audiovisual, FazCultura na Bahia, Lei de Incentivo à Cultura nos estados do Rio Grande do Sul, Distrito Federal, Rio de Janeiro e ProAC em São Paulo.

Para inscrever um projeto em uma lei de incentivo a cultura, normalmente é preciso realizar os seguintes passos:

Apresentação de proposta no Sistema de Apoio às Leis de Incentivo à cultura; O Ministério da Cidadania analisa se a proposta é admissível. Se sim, ela se torna um projeto e tem autorização para captar recursos; O projeto deve ser encaminhado à análise técnica, depois de captar 10% do valor total aprovado. Após isso, o projeto deve ser homologado; Quando captar 20% do valor, o produtor pode movimentar os recursos para iniciar a preparação prática do projeto; Por fim, o projeto precisa ser submetido à avaliação de resultados, que verifica como os recursos foram aplicados.

De Onde Vem O Dinheiro Da Lei Rouanet

O que é verdade sobre a Lei Rouanet?

A Lei Rouanet dá dinheiro público que poderia ser usado em hospitais e escolas – Não é verdade. Como explicamos acima, a lei não tira dinheiro dos cofres públicos para dar a artistas. Ela incentiva empresas a investir na cultura e, assim, «poupar» em impostos. Esse dinheiro direcionado também cria empregos e faz a economia girar, além de fomentar a cultura, algo com grande importância.

Como ganhar dinheiro com Cultura?

Financiamento Coletivo – Financiamento coletivo, ou crowdfunding, é uma ótima opção para ganhar dinheiro com projetos culturais, pois possibilita arrecadar contribuições de diversos portes em um só lugar. Outra vantagem é receber recursos tanto de pessoas físicas, quanto de empresas por meio da campanha.

No financiamento coletivo, você pode oferecer recompensas em troca de apoio financeiro. Com elas, é possível estimular diferentes tipos de apoio. Por exemplo, você pode oferecer recompensas como camisetas e outros produtos relacionados ao projeto cultural em troca de valores acessíveis a pessoas físicas, assim como pode oferecer espaço para logomarca em materiais de divulgação do projeto por valores adequados a empresas patrocinadoras que também podem ajudar você a ganhar dinheiro com projetos culturais.

No caso de atividades culturais pontuais, como a montagem de um espetáculo, você pode criar uma campanha de financiamento coletivo pontual, em que as pessoas contribuem pontualmente para a realização da produção. Já para atividades de longa duração, você pode criar uma campanha de financiamento coletivo contínuo e receber apoios mensais, como em um clube de assinaturas, De Onde Vem O Dinheiro Da Lei Rouanet O importante é apresentar bem seu projeto cultural e atentar para alguns detalhes para ter uma campanha de sucesso, como a divulgação. Para aumentar as chances de ganhar dinheiro com projetos culturais, lembre-se de combinar diferentes estratégias de arrecadação.

Quanto o governo Lula já gastou em 2023?

A viagem à China representou 66% (R$ 1,7 milhão) do total de janeiro a maio; dados foram obtidos pelo Poder360 via LAI De Onde Vem O Dinheiro Da Lei Rouanet Cartão corporativo bancou de comissários de bordo a passagens aéreas de servidores Israel Medeiros 19.jul.2023 (quarta-feira) – 6h00 A Presidência da República gastou R$ 2,6 milhões com o cartão corporativo em viagens do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao exterior nos 5 primeiros meses de 2023. Os dados foram obtidos pelo Poder360 via LAI (Lei de Acesso à Informação).

Do total, 66% (R$ 1,7 milhão) foram gastos apenas com preparativos para a viagem à China, Apesar de não ter ido ao país asiático em março –Lula teve pneumonia e cancelou a visita –, a «não viagem» custou R$ 861 mil no cartão corporativo –R$ 10.000 a mais do que quando o petista de fato foi ao país e desembolsou R$ 851 mil.

Na Europa, Lula foi a 3 países nos 5 primeiros meses de governo e gastou mais de meio milhão (R$ 597 mil) com o cartão corporativo. A Presidência gastou R$ 389 mil na viagem a Portugal ; R$ 3.386 na visita à Espanha e outros R$ 205 mil com a ida à coroação de Charles 3º no Reino Unido. De Onde Vem O Dinheiro Da Lei Rouanet

Que ano o Lula saiu do governo?

Luiz Inácio Lula da Silva foi eleito presidente do Brasil durante as eleições realizadas em 2002. Seu governo ficou caracterizado pelo crescimento da economia brasileira. Ouça o texto abaixo!

Quantos anos Lula completa?

Lula completa 78 anos, mas não é o mais velho a presidir o Brasil; saiba as idades dos presidentes RIO – O presidente (PT) completa 78 anos nesta sexta-feira, 27, em seu terceiro mandato à frente do Palácio do Planalto. Apesar de ser o político mais velho a ter assumido o Palácio do Planalto desde o início da República, em 1889, o petista não é o nome mais experiente a comandar o País na história.

See also:  Quem NO Pode Tomar Creatina?

O ex-presidente (MDB) deixou a Presidência aos 78 anos e três meses – o recorde desde marechal Deodoro da Fonseca, o primeiro chefe do Executivo brasileiro. Aos 78 anos, Lula superou Temer como o mais velho a tomar posse como presidente. Ao assumir o comando do País após o impeachment da ex-presidente (PT), Temer chegou ao Planalto aos 75 anos, em agosto de 2016.

O emedebista, no entanto, terminou o mandato-tampão aos 78 anos, mesma idade de Lula agora. Ou seja, em breve, o petista se tornará o mais velho a presidir o Brasil. Apoiadores de Lula foram ao Palácio da Alvorada para comemorar o aniversário do presidente, que acenou de dentro do carro Foto: Wilton Junior Lula nasceu em 27 de outubro de 1945, em Caetés, no interior de Pernambuco. Essa é a nona vez que o petista comemora aniversário à frente da Presidência da República.

  • Ao vencer a disputa pela Presidência pela terceira vez, Lula chegou a afirmar que «não é quantidade de anos que uma pessoa tem que a envelhece.
  • O que envelhece uma pessoa é a falta de causa».
  • Por isso, eu me determinei: o Brasil é a minha causa.
  • O povo é minha causa.
  • E combater a miséria é a razão pela qual eu vou viver até o fim da minha vida», afirmou.

Continua após a publicidade Lula viralizou durante a campanha eleitoral de 2022 ao compartilhar a intensa rotina de exercícios nas redes sociais. Mais recentemente, a saúde do presidente voltou a ser alvo de preocupação: ele passou por uma cirurgia no quadril no último dia 29.

Do ponto de vista físico, estou bem. Sinto que a cirurgia foi um sucesso», declarou no início do mês. O chefe do Executivo voltou a falar que só poderá retomar suas agendas internacionais após uma avaliação da equipe médica, que será feita de seis a oito semanas após o procedimento no quadril, quando deverá estar recuperado.

Entre os mais velhos a comandar o Brasil, Getúlio Vargas deixou o posto aos 71 anos, assim como Ernesto Geisel. Já o tucano Fernando Henrique Cardoso deixou a Presidência aos 70 anos. Os ex-presidentes Fernando Collor, Nilo Peçanha e João Goulart foram os mais novos a assumir o mais alto cargo da política brasileira, aos 40, 41 e 43 anos, respectivamente.

Quanto Milton Nascimento ganhou com a Lei Rouanet?

Milton Nascimento canta em prol de tartarugas em projeto de R$ 1 milhão. Pagodeiros exaltam biomas e plantam árvores em turnê de R$ 2,4 milhões. – De Onde Vem O Dinheiro Da Lei Rouanet Milton Nascimento (Foto: Divulgação/Paulo Uchôa) Projetos de turnês musicais que abordam temas ecológicos estão na lista de aprovados em fevereiro de 2014, pelo Ministério da Cultura, para captar recursos da Lei Rouanet. Milton Nascimento faz homenagem ao projeto ambiental Tamar em proposta de R$ 957 mil para shows e CD com o Dudu Lima Trio.

  • Outra proposta, da banda de pagode Jeito Moleque, pede R$ 2,4 milhões para turnê e DVD «ambientalmente responsáveis», que inclui plantio de 2 mil árvores para «emissões de gases do efeito estufa geradas com as realizações dos shows».
  • Os dois projetos foram aprovados com poucos cortes de verba pela Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC), que se reúne mensalmente para avaliar propostas.

Os artistas também podem contar com a renda extra de ingressos a preços populares, que se somam ao valor total liberado para captação de patrocínio pela Lei Rouanet. A lei tem objetivo de incentivar ações culturais. A aprovação do Ministério não significa que o projeto será patrocinado.

É apenas o aval para que o artista busque o incentivo junto a empresas, que têm em troca abatimento de impostos correspondente ao valor investido no projeto. O prazo é de um ano para captação e pode ser renovado por seis meses. A comissão de avaliação reúne representantes de artistas, empresários e sociedade civil.

Os shows com Milton Nascimento poderão captar R$ 813 mil, dos R$ 957 mil solicitados. Grande parte do corte da CNIC foi feito nos cachês do cantor. Para cinco shows, a proposta era dar ao músico um total de R$ 285 mil, na soma de cachês. A comissão liberou R$ 150 mil de cachê total. De Onde Vem O Dinheiro Da Lei Rouanet Jeito Moleque (Foto: Divulgação) ‘Peso positivo’ Outro projeto musical com cunho ambiental aprovado pela Lei Rouanet em fevereiro, «Cantado e Cultivando», foi apresentado pelo cantor Rangel Nabi Ribeiro, que já participou de programas de calouros de TV.

Uma apresentação musical única em Ribeirão Preto com público previsto de 2 mil pessoas, com o «tema da cultura da reciclagem», foi aprovada no valor de R$ 582 mil. Rangel diz ao G1 que falar de ecologia «pode ter um peso positivo na aprovação e a captação» do patrocínio. O G1 entrou em contato com a produção de Milton Nascimento e Jeito Moleque na segunda-feira (17), para comentar os projetos, mas não teve resposta até a noite de terça-feira (18).

Milton em prol de tartarugas O projeto de Milton Nascimento e Dudu Lima Trio tem como um dos objetivos «sensibilizar o grande público para a necessidade de promover a conservação ambiental, em especial, dos mares, oceanos e as tartarugas marinhas», segundo texto apresentado ao MinC.

  1. O cantor e o grupo pretendem fazer cinco apresentações em bases do projeto Tamar e gravar um CD com sete faixas.
  2. Grupos locais também devem participar dos shows.
  3. Veja a proposta e o orçamento apresentados ao MinC.
  4. Jeito Moleque cita Wikipedia O texto do projeto, no qual a banda de pagode se associou à empresa OAK Educação e Meio Ambiente Ltda, diz que a turnê «é ambientalmente responsável e colaborará com instituições do terceiro setor envolvidas em cada um dos biomas representados pelas cidades visitadas pela turnê.» A banda promete «distribuição gratuita de 5% dos ingressos a instituições do terceiro setor locais às cidades de apresentação, que trabalhem na conservação do bioma local», além do plantio das 2 mil árvores.
See also:  Como Ver Os Apps Que J Baixei Na Play Store?

O projeto também cita o fato de a banda «exaltar o samba de maneira atemporal». Ao tratar do tema, o texto apresentado ao Ministério tem dois parágrafos com frases quase idênticas ao verbete «Samba» na Wikipedia. Veja a proposta e o orçamento apresentados ao MinC.

O que acontece quando um projeto é aprovado em lei de incentivo?

Você sabe o que são Leis de Incentivo? As leis de incentivo são mecanismos que permitem a renúncia fiscal, por parte do Poder Executivo, de recursos que deveriam ser arrecadados de pessoas e empresas. Ou seja, o governo abre mão de receber parte dos impostos para incentivar projetos nas áreas cultural, esportiva e social. De Onde Vem O Dinheiro Da Lei Rouanet Entendemos que é essencial que essas instituições recebam orientações e diretrizes que contribuam para uma boa gestão e desenvolvimento de seus projetos – assim, eles expandem seu potencial transformador.

Como faço para me cadastrar no Sistema Salic?

CADASTRANDO USUÁRIO/PROPONENTE 1º Acesse o Sistema de Apoio às Leis de Incentivo à Cultura – Salic no seguinte endereço: https:// salic.cultura.gov.br 2º Cadastre-se como usuário do Salic : Obs.: Se já é cadastrado no Salic, digite seu login e senha e vá direto ao 6º passo.3º Preencha os dados solicitados.

O que é o Sistema Salic?

Na manhã desse sábado, 17, no auditório do Sebrae, em Aracaju, a Secretaria de Estado da Cultura realizou uma oficina destinada aos agentes culturais. Intitulada ‘Como operar Salic Web’, a oficina foi ministrada pelo coordenador de Desenvolvimento e Orientação da Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura (Sefic) do Ministério da Cultura (MinC), Rômulo Menhô, e atraiu mais de 70 participantes.

O sistema Salic Web é a plataforma eletrônica disponível no site do MinC onde são inscritos projetos que pleiteiam apoio da Lei Rouanet. A iniciativa de promover a oficina faz parte de uma parceria entre Secult e MinC, com apoio da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (Fies), Sebrae-SE, Conselho Regional de Contabilidade (CRC-SE) e Sindicato das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisa e das Empresas de Serviço de Contabilidade de Sergipe (Sescap/SE).

Presente à oficina, o secretário adjunto de Estado da Cultura, Marcelo Rangel, ressaltou todo o processo que a Secult vem desenvolvendo junto aos agentes culturais sergipanos. «Como todo processo cultural, nós passamos por etapas. Primeiramente, trabalhamos conceitos como o de economia da cultura e mostrando a cadeia cultural do nosso estado.

  1. Depois passamos por uma fase de capacitação, com oficinas, e hoje estamos estreitando os laços com o Sebrae e trazendo o MinC para dialogar com nossos agentes», explicou o gestor.
  2. Segundo o ministrante Rômulo Menhô, o objetivo central da oficina foi desmitificar a ideia de complexidade que o Salic Web tem para a maioria dos agentes culturais.

«Nosso intuito foi tirar dúvidas em relação a cada módulo do sistema, de maneira que pudesse facilitar a vida do proponente. Além disso, demos dicas importantes que a gente acha que cada proponente deva fazer na montagem de sua proposta cultural», explicou.

  • Rômulo ressaltou ainda que foi uma satisfação poder trabalhar com os produtores de cultura sergipanos.
  • Estava esperando um publico menor e fiquei surpreso, afinal foram mais de 70 pessoas presentes.
  • Fiquei muito satisfeito.
  • As dúvidas que ocorreram são freqüentes, de pessoas que utilizam o sistema», parabenizou Rômulo.

Heterogeneidade do público A diversidade de agentes culturais foi a característica marcante da oficina. Pessoas das artes cênicas, da literatura, da pesquisa acadêmica e da sociologia, por exemplo, estiveram presentes com um só intuito: informar-se mais acerca do sistema eletrônico do MinC e aumentar o número de projetos inscritos e que recebem apoio via Lei Rouanet.

  1. Estamos muito satisfeitos porque notamos a presença do público que participou do nosso Birô Cultural, pessoas que vieram de outras cidades.
  2. Realmente estamos construindo uma rede fortalecida, além de termos mobilizado proponentes de diferentes áreas», elogiou Marcelo Rangel.
  3. Um desses exemplos é o componente do Grupo Arte Viva, Carlos Augusto Pereira, que saiu do município de Gararu especialmente para a oficina.

«Sergipe tem pouca participação e aprovação de projetos, por isso parabenizo a Secult pela iniciativa. Saí do meu município especialmente para a oficina, pois é de suma importância que nós estejamos preparados para concorrer com eficiência nos editais», dialogou.

Já o sociólogo e pesquisador Messalas Santos lembrou que a oficina foi importante para que haja um maior destaque dos agentes culturais sergipanos no âmbito federal. «A ideia é fazer com que grandes empresas possam participar e que tenhamos um maior alcance em âmbito federal. Esse é um engajamento que proporciona um maior saber para nossos agentes», ressaltou Messalas.

Para a jornalista Ilmara Cristina Souza, a oficina trouxe um entendimento melhor acerca do funcionamento do sistema e elogiou a didática de Rômulo Menhô. «Aqui no estado temos muitas cabeças pensantes, mas que não sabem manusear o sistema. Por isso, esta oficina foi fundamental para esclarecer nossas dúvidas.

  • Parabenizo, também, a didática adotada por Rômulo, que conseguiu, através de uma linguagem acessível, fazer com que nós entendêssemos – apesar dos termos técnicos», disse Ilmara.
  • Parceiros As oficinas ‘Como Operar Salic Web’ e ‘Possibilidades e vantagens da Lei Federal de Incentivo à Cultura’ (essa última realizada na sexta-feira, 16, e direcionada a contabilistas sergipanos), fazem parte de um plano de ações que visa potencializar a Lei Rouanet em Sergipe.

As oficinas foram realizadas pela Secult e Sefic/MinC, com apoio da Fies, Sebrae-SE, CRC-SE e Sindicato das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisa e das Empresas de Serviço de Contabilidade de Sergipe (Sescap/SE).

O que é a Lei de Incentivo Fiscal?

Você sabe o que são Leis de Incentivo? As leis de incentivo são mecanismos que permitem a renúncia fiscal, por parte do Poder Executivo, de recursos que deveriam ser arrecadados de pessoas e empresas. Ou seja, o governo abre mão de receber parte dos impostos para incentivar projetos nas áreas cultural, esportiva e social. De Onde Vem O Dinheiro Da Lei Rouanet Entendemos que é essencial que essas instituições recebam orientações e diretrizes que contribuam para uma boa gestão e desenvolvimento de seus projetos – assim, eles expandem seu potencial transformador.