Especias Mixtli

Consejos | Trucos | Comentarios

Como Perdoar Uma Pessoa Que Te Magoou Muito?

O que acontece com uma pessoa que não perdoa?

Livre-se da amargura e da falta de perdão • 26 a 31 de agosto – Central ORAÇAO E ADORAÇÃO Quando o povo de Deus o louva e adora, Deus aparece; e com sua presença, vem Seu poder e tudo o que precisamos. Com esta certeza, conduza sua célula no melhor momento de louvor que puder.

  • Escolha pelo menos duas canções que tem inspirado você ultimamente.
  • O segredo é separar um tempo para se concentrarem em quem Deus é e agradecer a ele por tudo o que tem feito.
  • Depois, orem pedindo que o Espírito Santo seja o guia deste encontro com Jesus.
  • INTRODUÇÃO Estamos desenvolvendo o tema Viaje Leve também nas células.

Já vimos que em nossa caminhada cotidiana, costumamos carregar bagagens emocionais. Muitas vezes andamos pesados em função de medos, ansiedades, preocupações, culpas, mágoas, etc. Precisamos estar bem atentos a um dos pesos que mais atrapalha a nossa caminhada e que tem poder para destruir toda a nossa vida.

Trata-se da raiz de amargura e da falta de perdão, nosso assunto neste encontro da célula. Leitura Bíblica: Esforcem-se para viver em paz com todos e para serem santos; sem santidade ninguém verá o Senhor. Cuidem que ninguém se exclua da graça de Deus. Que nenhuma raiz de amargura brote e cause perturbação, contaminando a muitos.

(Hebreus 12:14,15) O problema da amargura Pergunta: O texto fala em santidade. Em sua opinião, o que é santidade? Santidade tem a ver com ser puro, ser diferente, e evitar o mal. Mas ser santo também significa tornar-se parecido com Deus. E ser parecido com Deus, segundo a Bíblia, deve alcançar todas as expressões do nosso caráter, incluindo a capacidade de sempre perdoar.

  • Você pode dizer que tem um bom relacionamento com todos?
  • O que significa para você estar em paz com todos? Você acredita que hoje está vivendo em paz com todos?

Estar em paz com todos significa não ter problemas no nível relacional, estar bem com todos e não guardar rancor e mágoas contra ninguém. E isso é tão sério que o autor afirma que guardar ofensas e amargura no coração nos impedirá de sermos perdoados de nossos pecados, já que escolher não perdoar nos exclui da graça de Deus.

  • Foi o que Jesus revelou na oração do Pai Nosso: «Perdoa as nossas dívidas assim como perdoamos aos nossos devedores» (Mateus 6.12).
  • Como o inimigo sempre almeja nos afastar de Deus e do nosso destino em Cristo, ele insiste em tentar plantar sementes de ofensa em nossa mente e coração para gerar uma raiz de amargura.

Pode ser através de algo simples, como sentir-se ignorado, ou através de coisas bem sérias, como descobrir que maldisseram de você, mentiram ou enganaram você, traíram você, etc. São sementes de ofensa que gradualmente vão se transformando em raízes de amargura, porque quando ofendidos, decidimos não perdoar de imediato a quem ofendeu.

Essa recusa em perdoar estanca o fluir da graça de Deus. A verdade é que quando deixamos de oferecer perdão àqueles que nos ofenderam, somos os primeiros e os grandes prejudicados. É certo que não podemos controlar o que as pessoas pensam ou falam a nosso respeito, nem o que fazem contra nós. Mas a boa notícia é que, com a ajuda de Deus e através do Seu poder, podemos controlar como reagimos a tudo isso.

A passagem bíblica que lemos nos alerta sobre a raiz de amargura por duas razões principais:

A amargura tem uma raiz muito perigosa.

Cuidem Que nenhuma raiz de amargura brote e cause perturbação. (Hb12.15) Como toda raiz, a amargura é perigosa porque ela cresce abaixo da superfície, invisível à princípio, e ninguém percebe a raiz crescendo mais e mais profundamente. Podemos ter sido machucados ou ofendidos e nem saber que aquela ofensa agora gerou uma pequena raiz de amargura em nosso coração, e que ela está crescendo com o tempo.

  1. Os outros à nossa volta não percebem que estamos magoados, mas à medida que alimentamos o ressentimento, que não perdoamos, aumentamos a amargura ao invés de eliminá-la logo no começo.
  2. Chega um momento em que ela brotará e aquela raiz até então oculta, escondida, agora vem à luz, e o problema já não é apenas nosso.

Ele se torna dos outros, e contamina muita gente. Quanto mais tempo permitirmos que a raiz de amargura se aloje dentro de nós, mais ela se aprofundará, se espalhará e mais difícil será removê-la. Por isso é que a raiz de amargura é tão perigosa.

Amargura produz um fruto venenoso.

Cuidem Que nenhuma raiz de amargura brote e cause perturbação, contaminando a muitos. (Hb 12.15) Amargura não é apenas uma raiz; é uma raiz que produz frutos ruins. Ela contamina você, mas contamina os outros à sua volta também. Uma ofensa pode contaminar muita gente.

  1. Sem saber, podemos estar envenenando pessoas próximas de nós, porque amargura é venenosa.
  2. Podemos ver isso no dia-a-dia: Uma pessoa magoada pode dividir toda uma família, pode acabar com uma célula, ou pode estragar todo o ambiente de trabalho, só para citar alguns exemplos.
  3. E se nós não tomarmos muito cuidado, nós podemos estar na igreja celebrando o amor de Deus mas, ao mesmo tempo odiando alguém em nosso coração.

Ou podemos estar recebendo a graça de Deus, mas sem conseguir oferecer graça alguma àqueles que estão à nossa volta, porque amargura nos exclui da graça de Deus. Pergunta:

  • Honestamente, você tem guardado rancor em seu coração? Carrega uma ferida escondida ou está nutrindo uma ofensa antiga?
  • Você percebe a existência de raiz de amargura em seu coração? Consegue avaliar as consequências deste sentimento ruim no coração?

Como eliminar a raiz de amargura? Vamos ler o que Paulo ensinou. Livrem-se de toda amargura, indignação e ira, gritaria e calúnia, bem como de toda maldade. Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus perdoou vocês em Cristo. (Efésios 4:31,32) Pergunta: Segundo esta passagem bíblica, como nos livramos da amargura?

Nós podemos nos livrar da raiz de amargura sendo bondosos e compassivos. Isso mesmo, nós matamos a amargura com compaixão. Precisamos entender que, em geral, o Reino de Deus opera de maneira exatamente oposta à natureza humana.

  • Jesus disse que se você deseja ser grande, então sirva aos outros. O oposto!
  • Alguém bate em seu rosto, ofereça a outra face. O oposto!
  • Você quer se livrar da raiz de amargura, então ame; tenha compaixão!

Em Romanos 12.21, Paulo ensina algo bem parecido: «Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem» (Romanos 12:21). Só há uma maneira de vencer o mal: é fazer exatamente o oposto do que a natureza humana faria. Lembre-se: você não pode controlar o que o outro faz, mas pode controlar como você responde ao que fazem contra você.

  1. Jesus ensinou sobre isso de uma forma inacreditável e desafiadora.
  2. Ele disse: Mas eu digo a vocês que estão me ouvindo: Amem os seus inimigos, façam o bem aos que os odeiam, abençoem os que os amaldiçoam, orem por aqueles que os maltratam.
  3. Lucas 6:27,28) Ou seja, uma das melhores maneiras de mostrar compaixão por alguém, e uma das melhores maneiras de esquecer a ofensa, é orar por aquele que fez mal a você.
See also:  Quando Surgiu A Igreja CatLica E Quem A Fundou?

Sua oração pelos outros pode não mudar o comportamento deles, mas quando ora, você sempre irá mudar. Porque nós matamos a amargura com compaixão.

Nós também matamos a raiz de amargura com o perdão. Como faço para perdoar algo que parece imperdoável? Paulo nos responde no mesmo texto de Efésios 4.32: «perdoando-se mutuamente, assim como Deus perdoou vocês em Cristo»

Observe bem: Deus não está pedindo para você produzir nada. Ele sabe que você não conseguiria produzir tal amor e compaixão, e oferecer tamanho perdão. Ele apenas pede que você passe o que você já tem recebido Dele. E isso é totalmente diferente. Como você faz para perdoar toda ofensa contra você? Você perdoa exatamente como Jesus perdoou você.

E como foi que Jesus lhe perdoou? Ele o perdoou incondicionalmente, imediatamente, generosamente, absolutamente, completamente. Ele foi para a cruz não para pagar pelos erros dele; Ele subiu e morreu ali para pagar os seus pecados. Temos que olhar para o que ele fez por nós, ao morrer para nos perdoar de tantos pecados.

E assim como Ele fez, assim como Ele nos perdoou, nós também devemos e podemos perdoar. Não permita que uma raiz de amargura cresça e perturbe, machuque, trave e roube sua alegria de viver e sua benção, trazendo ressentimentos sem fim. Não permita isso.

  1. Não faça isso com você mesmo.
  2. Pergunta final: qual é o princípio mais importante que você aprendeu neste estudo? Como você irá aplica-lo? (para todos responderem) Conclusão Se você tem uma amargura em seu coração, entenda como isso é perigoso e prejudicial; não permita que este sentimento domine o seu coração nem mais um minuto.

A grande dificuldade é que só consegue perdoar quem já foi perdoado. Daí a importância da conversão genuína: só um coração novo, só uma pessoa que nasceu de novo consegue perdoar, porque pode entender quão grande e impagável era a sua dívida para com Deus, mas que mesmo assim o perdoou.

  1. Perdão é algo que recebemos, mas tem que ser algo que também passamos para aqueles que nos ofenderam.
  2. Quem não perdoa torna-se prisioneiro da ofensa, das lembranças e de cadeias de amargura e ressentimento.
  3. Oração: orem juntos agora mesmo, cada um confessando diante de Deus se há alguma raiz de amargura perturbando a sua vida.

Peça perdão a Deus por guardar ressentimentos e peça que ele o encha com seu amor e compaixão por todas as pessoas. Diga para Deus que por ter sido tão grandemente perdoado por Ele, você decide perdoar e deixar livre todos os que o tem ofendido. Assista a mensagem que inspirou essa lição: : Livre-se da amargura e da falta de perdão • 26 a 31 de agosto – Central

Qual é a Oração do perdão?

Padre Flávio Sobreiro

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.Deus, Pai de amor e bondade, que em Sua infinita acolhe todos os que se aproximam de Vós com o coração arrependido, acolhei meu pedido de perdão por tantas faltas cometidas contra Ti e meus irmãos.Senhor Jesus Cristo, Mestre da ternura e do amor, que devolveu a vida em plenitude a tantos homens e mulheres imersos no pecado e caminhantes das trevas, conduzi-me nos caminhos do perdão e fortalecei minha alma para que eu tenha a humildade de pedir perdão e a misericórdia de., Consolador da alma, Advogado dos justos e Paráclito do amor, inspirai em meu coração gestos de bondade e ternura, que devolvam aos corações angustiados a beleza do perdão e as graças da reconciliação.Amém. Leia mais:

Bacharel em Filosofia pela PUCCAMP e Teólogo pela Faculdade Católica de Pouso Alegre (MG), padre Flávio Sobreiro é pároco da Paróquia São José, em Toledo (MG), e padre da Arquidiocese de Pouso Alegre (MG). É autor de, além disso, desde 2011, é colunista do Portal Canção Nova. Para saber mais sobre o sacerdote e acompanhar outras reflexões, acesse: @peflaviosobreirodacosta.

Quanto tempo uma pessoa leva para perdoar?

Uma casa sem tapetes – Enright explica que o processo do perdão tem quatro fases: reconhecimento da raiva, decisão de perdoar, entendimento sobre as dificuldades do agressor e libertação da dor emocional. O perdão depende de uma decisão, mas ele é um processo que pode demorar algumas estações. Cada um perdoa no seu ritmo — e quanto mais profunda é a mágoa — mais tempo o processo costuma levar. Crédito: Fredrick Suwand | Unsplash Uma das razões que explicam a dificuldade de perdoar, é porque entrar em contato com as nossas mágoas pode ser dolorido demais. É comum que por trás delas exista vergonha. «O que será que as pessoas pensam que eu fiz para causar esta situação?» Pode haver o sentimento de culpa.

  1. Eu deveria ter me protegido.» «Eu não posso culpar alguém que estava fazendo o seu melhor.
  2. Ou podemos encontrar a dor da rejeição e do abandono quando percebemos que fomos deixados de lado por pessoas que deveriam nos proteger.
  3. Perdoar requer coragem e apoio.
  4. E neste sentido, a ajuda importante é aquela que valida, e não a que minimiza a sua dor.

Muitas vezes colocamos o sofrimento embaixo do tapete porque não sabemos como lidar com a situação. A negação pode ser uma forma de ganhar tempo e construir recursos que nos ajudem a encarar o que aconteceu. Mas como estratégia de longo prazo, a negação piora nossos problemas.

Quais são as doenças causadas pela mágoa?

Raiva, mágoa, tristeza. Um ditado bastante popular diz que guardar sentimentos como esses causa câncer. A teoria afirma que é preciso expressar as emoções e jogar as energias para fora do corpo sem nenhum pudor – tudo para o organismo não transformar as emoções negativas em doenças,

  • Durante muito tempo, os mais céticos duvidaram da veracidade desta tese, mas a ciência comprovou que a sabedoria popular está mesmo correta.
  • Pesquisas realizadas nos Estados Unidos e na Europa apontam que sentimentos como esses são tão perigosos para a saúde quanto o cigarro e a obesidade.
  • Os especialistas explicam que, em pequenas doses, o sentimento de raiva, por exemplo, pode até ser saudável – servindo de impulso para ações ou motivações de mudanças.

No entanto, o problema começa quando ela extrapola o bom senso, passa a prejudicar o bem-estar físico e o convívio social. O cultivo da raiva excessiva faz com que o corpo humano entre em estado de estresse, pois a descarga de adrenalina no organismo é muito grande.

O sentimento pode causar alterações fisiológicas como aumento da pressão e dos batimentos cardíacos, tonturas, vertigens, tremores, inquietação e até insônia. Mas a lista de problemas não para por ai. O quadro de raiva excessiva pode acarretar cansaço físico excessivo, falta de memória e problemas gastrointestinais.

Em casos mais graves, ela pode levar a um infarto cardíaco ou a um acidente vascular cerebral ( AVC ), problemas considerados graves pela medicina. Pensando nisso, a EMS preparou uma lista de recomendações para você fugir deste sentimento tão maléfico ao nosso organismo.

See also:  Quem Vai Voltar Para O Bbb 23?

Nunca negue o sentimento. Se a raiva está presente, é necessário entender e avaliar com a maior clareza possível. É preciso muito bom senso para descobrir se as suas reações estão sendo desproporcionais aos eventos responsáveis por causar a raiva; Seja o mais assertivo possível. Na maior parte das vezes, é necessário abrir o jogo de forma clara e objetiva com as pessoas ao seu redor. Isso evita que mágoas mal resolvidas possam se transformar em raiva excessiva e acumulada; Evite agir por impulsividade. As ações movidas por impulsos geralmente causam excessos desnecessários. O ideal, ao sentir aquele acesso de raiva, é sempre esperar e refletir antes de reagir; Invista em um hobby, Pode parecer clichê, mas atividades prazerosas serve para canalizar o sentimento de raiva.

O que a Bíblia diz para quem não perdoa?

Por que não perdoar é um pecado maior do que fazer o mal a alguém? O Senhor ensinou: «Deveis perdoar-vos uns aos outros; pois aquele que não perdoa a seu irmão suas ofensas está em condenação diante do Senhor; pois nele permanece o pecado maior. Eu, o Senhor, perdoarei a quem desejo perdoar, mas de vós é exigido que perdoeis a todos os homens» ().

  • Quando deixamos de perdoar, colocamos nosso julgamento limitado acima do julgamento perfeito do Senhor.
  • Ele tem uma visão perfeita do coração e das circunstâncias das pessoas, e o julgamento pertence somente a Ele.
  • No final, Ele vai exercer perfeita justiça e perfeita misericórdia para todos — tanto os que fizeram o mal às pessoas quanto as que sofreram o mal.

Além disso, ao exigir que perdoemos, o Senhor está nos ajudando a escolher a felicidade em vez do infortúnio, a abandonar nossos amargos ressentimentos e nossas mágoas e a receber a cura por meio de Sua graça. Descobrimos assim, tal como nos relembrou o Élder Kevin R.

Quais as doenças por falta de perdão?

As consequências da falta de perdão Como Perdoar Uma Pessoa Que Te Magoou Muito Seja qual for a razão, perdoar não é só uma decisão religiosa, ou um gesto de amor, mas um ato que revela a preocupação com a saúde de quem perdoa. Um recente estudo brasileiro ligou a falta de perdão com o risco maior de infarto agudo do miocárdio. A pesquisa foi realizada pela psicanalista Suzana Avezum, que explorou o tema em seu trabalho de mestrado.

Para isso, ela pediu para que 130 pacientes respondessem a dois questionários sobre a disposição ao perdão e sobre espiritualidade. Os participantes do estudo foram classificados em dois grupos: o primeiro formado por 65 pessoas sem histórico de doenças cardiovasculares e o segundo com outras 65 que já haviam infartado anteriormente.

Ao analisar as repostas, a pesquisadora percebeu que o grupo que sofreu infarto apresentou maior tendência a não perdoar as mágoas sofridas durante a vida. O que pode explicar a relação entre problemas emocionais e doenças cardíacas são os hormônios do estresse, que provocam respostas fisiológicas de defesa, podendo levar o corpo a desenvolver patologias.

  • Sabemos que o perdão está intimamente ligado às emoções e está energia negativa pode voltar contra nós mesmos.
  • Outros estudos também apontam que a falta de perdão pode desencadear em sérias doenças emocionais e físicas como depressão, dores musculares, hipertensão, reações alérgicas, enxaquecas, dores no corpo e até câncer.

A falta de perdão nos faz sentir torturados. O nosso coração se torna escravo de um sentimento que vai nos matando por dentro, apesar de parecer bem por fora. Em outras palavras, esses sentimentos não resolvidos acabam se revertendo contra a própria pessoa que guarda e se torna destrutiva.

  • A concessão do perdão faz tão bem para as pessoas que, através desta atitude, começa o processo de cura interior.
  • Em termos teológicos, a falta de perdão está ligada completamente a falta de resposta as nossas orações.
  • É por isso que Jesus ao ensinar nos a oração do Pai Nosso disse: «Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores», e ainda: «Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós.» (Mateus 6:12 e 14) São Paulo vai mais longe, ele fala em 2 Coríntios 2:10 que perdoa para não ser vencido por satanás: «E a quem perdoardes alguma coisa também eu; porque o que eu também perdoei, se é que tenho perdoado, por amor de vós o fiz na presença de Cristo; para que não sejamos vencidos por Satanás.» Perdoar não é o mesmo que esquecer.

Ao esquecer você corre o risco de vez ou outra relembrar e voltar a sofrer pelo mesmo motivo. A melhor forma de saber se você realmente perdoou é quando o problema não faz você mais sofrer. Mas não se preocupe, perdão é dom divino. Peça ajuda aos céus sempre que a falta de perdão te assolar.

O que é mais difícil perdoar ou amar?

Pr. Cpl. Moacir J Laurentino Como Perdoar Uma Pessoa Que Te Magoou Muito O QUE É MAIS DIFÍCIL, AMAR OU PERDOAR? Quando se Perdoa, a atitude é de liberação da culpa de outrem em função de uma ofensa. Muitas vezes alguns preferem perdoar, mas não conviver. Quando se Ama, a atitude é valorizar o arrependido, ajudando-o a melhorar suas atitudes, não importando a gravidade do erro.

Poucas pessoas decidem permanecer junto a estes. APLICAÇÃO: Na hipótese do perdão acima, teremos poucas chances de estar por perto e ver a transformação. Já na hipótese do Amor, grande será a chance de nos alegrarmos com a mudança do arrependido. Nessa hipótese, nunca poderemos nos arrepender de ter perdoado, pois ao ficarmos perto, amando com amor verdadeiro! Sentiremos-nos livres, pois acompanharemos a libertação e mudança de alguém que um dia nos ofendeu e não foi abandonado porque alguém o amou.

: Pr. Cpl. Moacir J Laurentino

É possível perdoar uma traição é ser feliz com a pessoa?

Então, é mesmo possível superar uma traição no casamento com bem-estar emocional e ausência de conflitos? Segundo a especialista em neurociência e comportamento humano, Camila Sponton, a resposta é sim. ‘ O ponto crucial da trajetória é a decisão de perdoar e levar o relacionamento adiante.

Qual é o limite do perdão?

O limite do perdão de Deus é a nossa morte. Ao morrermos, não adianta dizer ‘perdão, Jesus’.

See also:  O Que AdministraçãO?

O que o senhor fala sobre perdão?

Perdoar os outros não é uma opção para os cristãos: é um mandamento. Em Mateus 6:12, Jesus ensina-nos a orar, «Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores». Ele tornou claro que a oferta de perdão de Deus é inseparável da nossa vontade de perdoar os outros. Então, qual é a natureza deste vínculo?

Como pedir perdão a Deus da forma correta?

Conheça os princípios do arrependimento – A fé em Jesus Cristo é essencial para o arrependimento. Tenha fé no poder de Jesus Cristo de libertar você do fardo do pecado e acredite que você pode se tornar puro novamente. Reconheça que você pecou, ou seja, que de alguma forma se afastou de Deus. A mudança não pode acontecer se você se recusar a admitir que fez algo errado. Você deve sentir verdadeiro remorso pelas coisas em sua vida que estão em conflito com a vontade de Deus. Tenha um desejo sincero de fazer mudanças. Depois que seus pecados forem perdoados, sua tristeza será substituída pela alegria. A tristeza sincera deve levá-lo a parar de fazer o que é errado. Jesus convidou a mulher apanhada em adultério a mudar, dizendo: «Vai-te, e não peques mais» (João 8:11). Seja franco e honesto com Deus em suas orações e admita que cometeu erros. Depois de confessar seus pecados, peça ajuda. «Desta maneira sabereis se um homem se arrepende de seus pecados — eis que ele os confessará e abandonará» (D&C 58:43). Se possível, você deve reparar os danos causados por suas ações. Se você tiver prejudicado alguém, peça perdão a essa pessoa e faça tudo o que puder para corrigir a situação. Preencha sua vida com atividades edificantes que possam fortalecê-lo. Isso inclui passar tempo com bons amigos, orar, ler as escrituras e ir à igreja. Essas atividades trazem poder espiritual e mais força para vencer as fraquezas. O presidente Dallin H. Oaks, da Primeira Presidência, abordou cada um dos princípios do arrependimento e disse: «Tudo isso faz parte do frequente convite encontrado nas escrituras para nos achegarmos a Cristo» («Purificados pelo arrependimento», Liahona, maio de 2019, p.92). O amoroso convite do Salvador para nos arrependermos é tão importante e libertador hoje como sempre foi.

Qual é a blasfêmia contra o espírito Santo?

Por fim, a explicação acima em torno da passagem de Mateus se aplica igualmente bem a Lc 12,10: ‘Todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do Homem será perdoado, mas quem blasfemar contra o Espírito santo não será perdoado.’.

Qual é a oracao do perdão?

Oração por perdão Todo relacionamento tem um risco, pois as pessoas que passam por nossas vidas podem nos magoar, nos machucar ou deixar uma grande marca em nossos corações. Assim como nós também com certeza falharemos em algum momento com alguém. Ainda bem que existe o perdão e a reconciliação.

Contudo, muitas vezes temos dificuldade de perdoar e carregamos mágoas conosco. Mas hoje o Senhor te convida a mudar essa situação. Vamos orar juntos nesse sentido! Lembrando que você não precisa repetir a oração exatamente como vou deixá-la aqui, até porque cada um de nós tem uma forma específica de se comunicar com o Senhor.

Mas se quiser me acompanhar, será um prazer. Sinta-se à vontade para falar do seu jeito. «Senhor nosso Deus e Pai, Te agradecemos por mais esse dia de vida, por mais uma oportunidade de viver em Sua presença. Gostaríamos de começar pedindo perdão por nossos pecados, pelas coisas que fazemos todos os dias que não Te agrada m.

Livra-me de todo amargor da vida e de todo sentimento ruim que eu possa estar sentido em relação aos meus irmãos, amigos e familiares. Oramos e clamamos no nome de Jesus, Amém!» Graça e paz,Ana.

: Oração por perdão

Quanto tempo leva para uma pessoa perdoar?

O perdão depende de uma decisão, mas ele é um processo que pode demorar algumas estações. Cada um perdoa no seu ritmo — e quanto mais profunda é a mágoa — mais tempo o processo costuma levar. Perdoar requer coragem e apoio. E, neste sentido, a ajuda importante é aquela que valida, e não a que minimiza a sua dor.

Porque será que é tão difícil perdoar?

Perdoar a si próprio pode ser mais difícil do que perdoar a outras pessoas e isso tem uma razão muito humana de ser. Somos acostumados a julgarmos e entendermos que, através do perdão do outro, seremos felizes, mas temos dificuldades em enxergarmos os próprios erros e a nos vermos como seres imperfeitos.

Sanar essa culpa, no entanto, não precisa ser um processo tão difícil e os benefícios podem ser vistos tanto na saúde mental quanto na física. «Autoperdoar-se envolve uma questão pessoal, onde não tem ninguém para pedir pelo perdão ou mudar a situação, a não ser você mesmo. Isso pode ser mais penoso», explica Mariana Bayer, psicóloga do Instituto Trilhar, clínica especialista no tratamento do luto.

O convívio constante com o sentimento de culpa pode realçar no indivíduo sintomas como baixa autoestima, dificuldades em dizer ‘não’, sentimento de rejeição e até a extrema necessidade de agradar e medo do julgamento do outro. «Todos os sentimentos são válidos e importantes, como alegria, solidão, alívio, raiva ou mesmo a culpa.

  • Mas a paralisação, como um martírio, no sentimento de culpa pode trazer prejuízo, como estresse, depressão, ansiedade ou baixa da imunidade, fator que pode desencadear outras doenças», reforça a psicóloga.
  • Como se autoperdoar? Sair desse ciclo de culpa, no entanto, não está relacionado a esquecer o que aconteceu ou voltar a conviver com quem você magoou ou quem o magoou.

«Perdoar é elaborar o fato ocorrido, conseguir conviver com ele, sem que isso gere sintomas físicos ou emocionais tão intensos. Ou, ainda, entender que aquilo pode ter gerado um aprendizado a você, o que seria o melhor dos casos», reforça Michele Maba, psicóloga especialista no luto.

Porém, é difícil fazer com que as pessoas queiram lembrar o que lhes causou dor e isso dificulta a solução, segundo Michele. «Sabemos que atingimos o autoperdão quando conseguimos lembrar dos fatos sem nos depreciarmos pelas nossas escolhas ou atitudes. Lembrar que fizemos o que podíamos ter feito naquele momento é um dos caminhos para esse autoperdão.

Ninguém faz escolhas ruins deliberadamente – faz porque estava tentando, de algum modo, acertar», reforça a psicóloga. Outro caminho é usar a compaixão: «Tratar os outros, mas também nós mesmos, com mais cuidado, compreensão e amorosidade. O fundamental, porém, é lembrar que não controlamos o futuro e nem passado, apenas o presente, que deve ser vivido com escolhas sensatas e não com o pensamento de que a vida seria melhor se isso ou aquilo não tivesse acontecido», conclui Michele.